quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Um final de semana na Chapada dos Guimarães, MT: uma extensa caverna, uma lagoa incrivelmente azul, uma queda d´água gigantesca, um mirante de tirar o fôlego e o encontro com uma cascavel

Flor de algodão

Cachoeira Véu de noiva

Lagoa Azul em uma das entradas da caverna Aroe Jari

A cascavel que cruzou nosso caminho

O banho geladinho na Cachoeira do Pulo

O para-tudo amarelo

A luz no fim do túnel, ou melhor, no fim da caverna

Encontro de gafanhotos: festa na folha!!!!

Vistas de tirar o fôlego no Morro dos Ventos

Quando publiquei algumas dessas fotos pela primeira vez no Facebook, não resisti e compartilhei com os amigos e leitores uma descoberta que me deixou muito surpresa. Três meses antes da viagem, compramos as passagens Rio-Brasília-Cuiabá e Cuiabá-Brasília-Rio em uma promoção da TAM a 198 reais por pessoa. Alguns dias antes de embarcarmos, o Marcelo foi pesquisar o valor desses mesmos bilhetes, só por curiosidade, e adivinhem o montante????? Simplesmente 5 mil reais por pessoa!!!!! Fiquei chocada com a diferença de preços e comecei a entender porque alguns conhecidos têm a impressão de que somos um casal abastado, rsrsrs! Estamos longe disso, mas adoramos viajar e, como não temos filhos, a probabilidade de haver algum imprevisto na véspera de um desses passeios não é tão grande.

Sendo assim, estamos sempre dispostos a programar viagens com três, quatro ou até seis meses de antecedência. O mesmo acontece com as férias prolongadas e as passagens internacionais: nunca pagamos o valor da tarifa cheia. Nossa maior fonte de consulta é o site MELHORES DESTINOS, por meio do qual ficamos sabendo das promoções de passagens e hotéis antes mesmo de serem divulgadas pelos sites das companhias aéreas e redes de hotelaria. Há algumas semanas, o Marcelo não se conteve e comprou duas passagens para a nossa próxima viagem internacional pela metade do preço!!!!!

Chegamos em Cuiabá no começo da madrugada de sexta para sábado e fomos logo dormir. No dia seguinte, acordamos bem cedo e seguimos de carro para a Chapada dos Guimarães.

Segundo o relato do Marcelo, “São cerca de 60km, leva pouco mais de uma hora pra chegar. Achei bem tranquilo. No caminho até lá, alguns dos principais atrativos infelizmente estão fechados. Mirante do Inferno? Fechado. Salgadeira? Fechado (e cheio de medonhos tapumes!). Aliás, infelizmente há outras atrações fechadas na Chapada (Cidade de Pedra? Fechada. Descer o Véu de Noiva? Proibido).”

Depois de encontrarmos a guia que contratamos para nos acompanhar nos dois dias de passeio (Márcia Menezes; (65) 9241-7582; mmgaveana@yahoo.com.br), seguimos para a fazenda Água Fria, onde está localizada a Aroe Jari, a maior caverna de arenito do Brasil, com cerca de 1.550 metros de extensão. Mas antes de chegarmos lá, paramos por alguns minutos no mirante do centro geodésico, considerado o centro da América do Sul, ponto equidistante entre os oceanos Atlântico e Pacífico.

A vista que se descortina no mirante é muito bonita e, apesar de um resquício de névoa, era possível avistar a imensa planície pantaneira e também Cuiabá, a capital do Mato Grosso.

Em seguida, pegamos uma estrada de terra que nos levou até a entrada da fazenda a 50 km de distância da Chapada, mas antes paramos para fotografar algumas coisas interessantes que encontramos no caminho, como um campo de algodão e a árvore da foto abaixo.

O que eu achava que era um ipê, tratava-se na verdade de um para-tudo, de acordo com a Márcia. Ela disse que o para-tudo é menorzinho e tem galhos mais retorcidos, como um bonsai. O ipê é mais alto e alongado. O exemplar da foto não foi o mais bonito que encontramos. Na estrada, vimos alguns super floridos, que se assemelhavam a um enorme buquê.

Atualmente não é possível visitar a fazenda sem estar acompanhado por um guia cadastrado. No início, o Marcelo se incomodou com essa regra porque ele sempre prefere fazer os roteiros por conta própria e no tempo que considera ideal. Mas, ao fim do passeio, nossa opinião foi a mesma: nossa guia era ótima e conhecer o parque com ela foi muito mais enriquecedor do que se fôssemos sozinhos, já que não teríamos acesso a tantas informações interessantes e curiosidades sobre o local.

A Márcia nos ensinou muito sobre a fauna e a flora do cerrado e deu gosto de ver como ela parece ser apaixonada por seu trabalho e pela cidade onde decidiu se estabelecer, depois de ter vivido sua adolescência e início da juventude em Brasília.

Se ela não estivesse nos acompanhando, o passeio pra mim se resumiria a “mato, mato, mato e mais mato” até que a gente chegasse em uma atração, mas por causa do carisma e dos conhecimentos compartilhados por ela, a “sequência de mato” se revelou uma grande surpresa e o passeio não foi nada maçante nem pareceu demorado. A impressão que eu tive foi a de que, a cada 3 ou 5 minutos, algo interessante surgia no caminho!!!!

Na foto acima, vocês podem observar uma rocha curiosa com um contorno que se assemelha ao rosto de uma mulher idosa… perceberam? A foto seguinte foi tirada logo depois que cruzamos a rocha e, segundo o pessoal local, a pedra vista sob esse ângulo parece com o rosto de uma mulher jovem.

Bom, isso não me convenceu muito, mas eu gostei bastante da próxima formação rochosa.

Essa eu achei impressionante: reparem como a rocha parece o perfil do simpático Shrek!!!!!

À medida que íamos avançando pela mata, a Márcia nos mostrava flores, cogumelos, frutas e insetos curiosos. As teias de aranha em formato cônico nos chamaram a atenção e havia muitas delas no caminho.

Na entrada da fazenda, recebemos caneleiras com a instrução de que deveríamos usá-las até o passeio terminar e adivinhem qual era a sua função principal?

Proteger as pernas de picada de cobras, como essa cascavel que cruzou nosso caminho!!!!! Foi a Márcia que viu o animal e nos alertou. Confesso que eu teria passado batido sem perceber a existência dela. Foi nesse momento que agradeci pela primeira vez o fato de um guia cadastrado ser exigido pela administração da fazenda.

Sinceramente, não sei o que aconteceria se estivéssemos sozinhos… talvez eu pisasse na cauda da cobra ou talvez eu continuasse a caminhar sem nenhum inconveniente, mas não tenho como saber. Para que pudéssemos continuar a fazer a trilha, a Márcia começou a atirar alguns gravetos na direção da cascavel até que ela se afastasse a uma distância segura.

Mais adiante, quando paramos para abastecer as garrafas de água, encontramos uma série de gafanhotos que pareciam estar descansando em algumas folhas largas. Foi interessante perceber essa aglomeração àquela hora do dia e, mais tarde, ao voltarmos pelo mesmo caminho, descobrimos que não havia nenhum exemplar da espécie para contar a história. Não imagino o que a galera estava fazendo em cima das folhas, mas me pareceu um encontro bem animado!!!!

Apesar de o cerrado ter sido considerado um lugar infértil e desprezado durante um bom tempo no passado, sua fauna e flora são riquíssimas e vimos muitas espécies de plantas diferentes durante a nossa visita.

O que eu achei mais impressionante foi a mudança brusca da paisagem em diversas partes do caminho. Vimos vegetação de cerrado, veredas, mata amazônica, mata aberta e mata fechada: tudo isso em uma mesma área.

Detalhe de planta típica da região

Adorei esses galhos super retorcidos que me lembraram as árvores das florestas sombrias e tenebrosas dos contos de fada!!!!

Na foto acima, vocês podem ver o “cafezinho do cerrado”. Pelas leis básicas de sobrevivência na selva, que estudei na época em que fiz o curso para ser comissária de bordo, aprendi que, se uma fruta não tem nenhuma mordidinha de animal, a regra é se afastar dela porque, muito provavelmente, é venenosa.

Pela primeira vez na vida, provei a semente do jatobá e achei sua consistência muito engraçada porque me lembrou leite Ninho e grudava no céu da boca!!!!

Segundo a Wikipedia, “O jatobá é um fruto muito conhecido dos índios da América Latina por ser uma das frutas místicas. Por assim ser, os índios pesquisavam seus efeitos antes de consumi-lo. Este fruto trazia equilíbrio de anseios, desejos, sentimentos e pensamentos. Os índios costumavam, em tempos remotos, comer um ou dois pedaços de jatobá e, logo após, fazer rodas de meditação. Eles cultuavam a fruta e, hoje, a árvore (jatobeira ou jatobazeiro) é considerada um patrimônio sagrado no Brasil. Ao longo do tempo, as pessoas foram se perguntado se a polpa do fruto fazia mesmo efeito sobre a saúde mental e sentimental. Com isso, muitos cientistas passaram a estudar seus efeitos. Estes concluíram que o jatobá traz alguns benefícios importantes, como a organização mental e a purificação dos sentimentos. Já o quanto tempo a pessoa precisa se alimentar disso para se sentir bem ainda é contestável. Também foi descoberto que o exagero no consumo diário pode gerar efeito contrário, deixando a pessoa atordoada e organismo desregulado.”

Acho que eu preciso de uma dose diária de jatobá, rsrsrsrs!

Conhecemos três entradas da caverna Aroe Jari, uma em cada extremidade e outra no meio. Penso que a foto acima não representa bem o lugar porque não dá a dimensão do tamanho da caverna, mas vejam como isso mudou quando registrei o Marcelo e a Márcia na imagem abaixo!

Eles parecem duas formiguinhas lá ao longe e esse é só um pedacinho da enorme Aroe Jari.

Para explorar o interior da caverna, é necessário usar uma lanterna. O Marcelo levou uma e a Márcia possuía outras duas. E aí nossa aventura começou!!!!!

Lá dentro, a Márcia ia direcionando o foco de luz para atrações como estalactites, estalagmites e rochas com intensas colorações avermelhadas, até que ela avistou um aglomerado de…

…morceguinhos dormindo juntos e aconchegados!!!! Eles me pareceram muito fofos lá em cima, mas eu não queria saber o que aconteceria se eles acordassem e então seguimos adiante.

Caminhamos o mais longe que pudemos em direção ao interior da caverna, que estava meio alagada a partir de um certo ponto. De repente, ao virar pra trás, na direção da entrada, me dei conta de como estava escuro lá dentro e desligamos as lanternas para curtir um pouco a escuridão.

A partir daí, começamos a nos aproximar da entrada e, confesso que me deu um certo alívio ao avistar a luz natural!!!!

Nas fotos acima, vocês podem observar outra entrada da caverna.

No caminho para a terceira entrada, onde fica a Lagoa Azul, conhecemos a Pedra do Equilíbrio, uma formação rochosa inusitada que é apoiada em outra pedra por míseros três pontinhos em sua base. Como a natureza é excêntrica e criativa!!!!

A Lagoa Azul já é lindíssima ao natural, porém quando a luz do sol entra na caverna, iluminando a água, torna-se ainda mais bonita. Em agosto, mês em que estivemos lá, o ideal é chegar no local por volta das 14h.

As diferentes cores das rochas que formam o interior da caverna proporcionam um belo contraste com a água azul.

Essa parte da caverna era habitada por várias maritacas, que estavam na época do acasalamento. Foi interessante observar vários casaizinhos namorando, mas eles não gostaram muito da nossa presença e começaram a soltar uns barulhos esganiçados a fim de nos expulsar do local.

Detalhe da porosidade do arenito que forma a caverna

Aguardamos meia hora até que a luz penetrasse no interior da caverna, mas essa não era a melhor época do ano para admirar todo o esplendor do lugar, apesar de ser considerada uma ótima temporada para conhecer a Chapada.

Na saída da fazenda, quando paramos para provar um suco de laranja natural bastante cremoso, avistamos uma seriema caminhando despreocupadamente ao redor do carro que alugamos.

Tentei me aproximar aos poucos para fotografá-la de perto, mas a serelepe seriema não era boba e seguiu seu caminho mata adentro!

A Márcia havia comentado sobre o teiú, o maior lagarto do Brasil, que pode atingir até 2 metro de comprimento. Segundo a Wikipedia, ele é “conhecido sobretudo por sua agressividade e voracidade. Se molestado, primeiro tenta fugir, mas, sendo impossível, defende-se desferindo golpes violentos com a cauda.”

No caso do bichinho da foto acima, assim que ele percebeu a minha presença, começou a correr de um jeito tão rápido, engraçado e desengonçado que não me pareceu muito ameaçador…

Encerrada a visita à caverna, retornamos à entrada da fazenda e, de carro, partimos para conhecer a pequena e charmosa Cachoeira do Alméscar.

O Marcelo se animou a entrar na água meio geladinha pros meus padrões, ainda mais porque o sol já estava se retirando do local. Então me contentei em fotografar os arredores e fiz algumas descobertas curiosas.

Vocês já ouviram falar na linha BREU-BRANCO da Natura? Sou suspeita pra falar dessa marca de cosméticos que adoro!!!!! Admiro a Logomarca, as embalagens e acho a qualidade dos produtos ótima, assim como a proposta da empresa de valorizar nossas riquezas naturais.

O breu-branco é uma resina de odor natural agradável e fresco, que nasce do tronco de uma árvore que expele esta substância naturalmente como forma de autoproteção, quando é danificada ou picada por um inseto da mata.

A Márcia me mostrou essa substância branca como sendo o breu-branco e a vermelha como sendo sua forma original, antes de se solidificar. Esfreguei um pouco nos dedos e senti um aroma bem gostoso. Mais tarde, fui pesquisar no Google sobre o produto da Natura, mas as fotos do breu-branco em forma de resina não se pareciam com as minhas. Ao mesmo tempo, descobri que existe também o breu vermelho.

À noite passeamos nos arredores da simpática pracinha central da Chapada para observar o movimento local. Jantamos em um restaurante italiano e fomos dormir cedo.

Domingo foi dia de fazer o circuito das cachoeiras no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães e o melhor é que só voltaríamos pra casa na segunda!!!!! Combinamos de encontrar a Márcia no mesmo local de manhã bem cedo e partimos para conhecer 6 cachoeiras ao longo de 5 horas de passeio: Andorinhas, Prainha, Degraus, Pulo, Sonrisal e Sete de Setembro, além de algumas piscinas naturais.

No caminho até a primeira cachoeira, a Márcia identificou várias pegadas de animais e eu fotografei algumas, como as de anta, veado e seriema das fotos acima. Havia também resquícios de urina de uma loba-guará no cio e fiquei feliz de não tê-la encontrado pessoalmente!!!! Tambem vimos muitos fósseis de conchas pelo caminho, um dos indicativos de que toda a região esteve debaixo d’água há milhões de anos.

Vocês já ouviram a expressão popular “abraço de tamanduá”? Uma coisa curiosíssima que a Márcia mencionou foi o fato de o tamanduá, que também habita a região, ter braços muito fortes e unhas compridas que imobilizam e dilaceram a carne da vítima, causando a quebra dos ossos, torções e outros ferimentos graves que podem levar à morte. Ele só ataca se ameaçado e acuado, tendo força suficiente para matar uma onça ou um ser humano.

À medida que íamos subindo, a paisagem descortinava os lindos paredões típicos dessa região.

Para chegar à Cachoeira das Andorinhas, considerada a mais bonita na qual é possível banhar-se, descemos uma íngreme escadinha de madeira.

Caminhando mais um pouco, avistamos a bela cachoeira, que se abre de um pequeno vão no meio do paredão em uma queda livre de 20 metros, formando uma piscina de água cristalina.

Cachoeira das Andorinhas

A Cachoeira da Prainha não tem esse nome à toa. A pequena faixa de areia é muito convidativa e eu adoraria passar algumas horas por lá, munida de algumas latinhas de cerveja, sanduíches e um bom livro ou revista!

A Cachoeira do Pulo possui águas verde clarinhas e areia macia. Gosto de cachoeiras assim, sem muitas pedras. O lugar é ótimo para se banhar sem medo de escorregar e aproveitei a ocasião para tirar uma foto não-convencional!!!!

Cachoeira do Pulo

O poço profundo permite que os visitantes possam saltar do alto e é daí que vem o nome do lugar, mas eu não sou tão aventureira assim e prefiro sempre ficar na parte rasinha!

Antes de seguirmos para a última cachoeira do roteiro, paramos para admirar algumas piscinas naturais bastante aconchegantes, que contavam com micro quedas d’água.

A Cachoeira 7 de Setembro é também muito propícia para um mergulho revigorante, apesar de algumas pedras deslizantes pelo caminho. Eu consegui chegar até bem perto da queda d’água, mas tive receio de passar por trás dela, como fez o Marcelo. Ele também aproveitou a oportunidade para deixar a água bater em suas costas, experimentando uma hidromassagem natural. 

A Márcia preferiu fazer o roteiro inverso ao da maioria dos guias e achamos ótimo porque fomos os primeiros a chegar em grande parte das cachoeiras. A 7 de Setembro estava vazia e parecia ser só nossa!!!!

Essa borboleta possuía asas em um lindo tom de azul, mas acho que ela ficou meio tímida quando percebeu que estava sendo fotografada e se retraiu, rsrs!

Quando encerramos o circuito das cachoeiras, partimos para conhecer a Casa de Pedra, uma pequena caverna de arenito por onde passa um rio, que foi o que esculpiu a estrutura durante anos.

O local já serviu de abrigo para povos primitivos, seguidos de índios que viviam na região, bandeirantes, tropeiros e campistas.

Vistas da Casa de Pedra

Após a visita à Casa de Pedra, fomos devolver a chave do parque na administração e descemos para o Mirante da Cachoeira Véu de Noiva, provavelmente a única atração que dispensa um guia. Entretanto, não é permitido descer para banhar-se na cachoeira desde que houve um acidente há alguns anos.

Seguimos por uma trilha urbanizada até o mirante, mas antes de chegar lá, tivemos a oportunidade de avistar os belos paredões típicos da região.

A cachoeira é simplesmente deslumbrante e por isso tornou-se um dos cartões-postais da Chapada.

Cachoeira Véu de Noiva

O Marcelo gostaria de ter ido também ao Morro de São Jerônimo, onde dizem que há uma vista espetacular, mas, pelo que ele pesquisou, é necessário fazer uma miniescalada em um trecho do percurso e ele achou (com toda a razão) que eu não conseguiria encarar essa parte, já que envolve um grau maior de dificuldade e exposição. Foi uma pena, mas tenho muito medo de me desequilibrar e fico totalmente insegura nas pedras.

Depois de tirar muitas fotos da cachoeira, seguimos para o Morro dos Ventos, um complexo de restaurantes e simpáticas lojas de artesanato, cuja maior atração é o mirante que possibilita ao visitante enxergar bem longe e contemplar uma vista surpreendente. É de tirar o fôlego, pessoal!!!!!

A vista para os paredões vizinhos e também para a grande planície pantaneira que começa logo abaixo, é impressionante. No local, há uma plataforma com estrutura de aço afixada na rocha, o que torna a experiência ainda mais interessante.

Paredões rochosos e a planície pantaneira vistos do mirante

E assim terminou nosso final de semana na Chapada dos Guimarães, lugar lindo e cheio de vida, onde a natureza me deixou encantada e surpresa. Passeamos um pouco pela pracinha da cidade antes de voltarmos à Cuiabá e, de dentro do carro, registrei as interessantes formações rochosas das fotos abaixo.

Guardadas as devidas proporções, o efeito da erosão me fez lembrar a região da Capadócia, na Turquia, onde estivemos há quatro meses.

Quando chegamos a Cuiabá, fomos direto para o hotel tomar um bom banho e saímos para jantar no tradicional Choppão, onde comemos picanha na chapa com uma farofinha crocante de alho maravilhosa!!!! Dormimos cedo porque precisamos acordar às 4h da manhã de segunda-feira para embarcarmos de volta ao Rio. Foi uma pena não termos tido tempo de conhecer a cidade, mas sendo assim, temos uma ótima desculpa para voltar!!!!

Conversando com a Márcia, confirmamos a nossa impressão de que havia mais gringos visitando a Chapada dos Guimarães do que brasileiros. Depois que o Marcelo comentou da escassez de postagens sobre a Chapada no MOCHILEIROS, site no qual publica seus relatos, decidi que essa viagem passaria à frente de algumas outras da minha lista e fico feliz em poder compartilhar aqui nossa experiência, além de divulgar as atrações desse lugar lindo!!!!

Um grande beijo pra todos com votos de que a gente sinta cada vez mais orgulho de ser brasileiro e de morar em um país tão rico em diversos aspectos!!!!

*Fontes de pesquisa:
http://www.mochileiros.com/fim-de-semana-na-chapada-dos-guimaraes-t72511.html
http://www.chapadadosguimaraes.tur.br/mirante-do-centro-geodesico-da-america-do-sul.html
http://www.chapadaexplorer.com.br/br/conhecendo-a-chapada-dos-guimaraes/208-caverna-aroe-jari-e-lagoa-azul-chapada-dos-guimar.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Jatob%C3%A1
http://www4.icmbio.gov.br/parna_guimaraes/
http://www.brasilviagem.com/pontur/?CodAtr=66165

Bonfa-ass

56 comentários:

Paula Kasas disse... [Responder comentário]

Gzuissssssssssssssss
Que corajosa...
Eu moro em Brotas, que é uma cidade de turismo ecológico também....mas não conheço nem a metade das cachoeiras daqui. Passeios então....só um rafting na vida...
Com essa cobra , eu já teria desmaiado.
Agora, a natureza é maravilhosa...deve ser uma energia e tanto.
Belo passeio.

Beijokas
Paula Kasas

Renilza Santos disse... [Responder comentário]

Poxa maravilhoso, sei que isso pode ser um pouco intimista mas você poderia colocar o preço em media gasto com o passeio e dicas do que dá para economizar.parabens!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Renilza SantosOi, Renilza! Obrigada pelo comentário e palpite! O Marcelo sempre faz os relatos de viagem primeiro e coloca essas informações mais detalhadas de logística e valores no site MOCHILEIROS. Dá uma olhadinha no link para o post dele sobre a Chapada: http://www.mochileiros.com/fim-de-semana-na-chapada-dos-guimaraes-t72511.html

Para economizar, a gente fica de olho no site http://www.melhoresdestinos.com.br/ e consegue comprar passagens por preços incríveis! Um grande beijo!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Paula KasasOi, Paula! Realmente a Chapada tem uma energia incrível, fiquei encantada!!!!!! A cobra deu um susto mesmo, até porque a guia disse que ela salta a uma longa distância, o que eu não imaginava!!!!! Mas, logo depois, eu esqueci o incidente e, felizmente, não vimos mais cobras pelo caminho! Um grande beijo!

Marta disse... [Responder comentário]

Katita..que lugar encantador..amei a vegetação e o formato da pedras...e a água cristalina?? Bjsss

Karla Coutinho disse... [Responder comentário]

Oi...
Mais uma vez um relato de perder o fôlego, rsrsrsr.
A Chapada é linda e o seu passeio nos faz querer pegar o primeiro avião e seguir destino.
Lindo destino !!!
Fotos lindas e precisas e um relato detalhado fazem de seu post uma ventura a mais. A foto que mais gostei ??? A luz do fim da caverna...rsrsr. Uma foto simples, de um significado extraordinário. Uma foto para refletir sobre olhar em frente e vislumbrar aquilo que ainda não temos.
Uma excelente quarta para vc e um feriado maravilhoso.
Beijos, com saudades. Karla e Hannah.

Patricia Merella disse... [Responder comentário]

Olá Katinha
Eu já fiz esta tua trilham,ah que saudades.Fotos maravilhosas, você sempre linda e sorridente,adoro ver este teu sorriso fantástico!
A madrinha de meu João é de Cuiabá,vive na Alemanha a 4 horas de cá de casa( Bélgica) e eu já tive o privilégio de visitar a Chapada,Cuiabá e os Pântanos,uma emocionante viajante!Linda semana querida,bjkas

Anna Lucia disse... [Responder comentário]

Caramba! Lindas fotos!!!!!
Não sou muito de comentar mas achei essas imagens alucinantes!
Vc é corajosa!!!!!
A casa de pedra , muito manera!
Beijos!!!!

angela disse... [Responder comentário]

Gostaria demais de ir lá!
Cascavel na minha casa é fichinha, no facebook postei a foto da última, foi no verão, nunca vi tão grande, devia ter 3 m. Eu estava na cachoeira e ela bem acima de mim , na pedra, pegando sol!

angela disse... [Responder comentário]

Agora é que as fotos baixaram e pude ver todas. Se quiser ver maritacas, seriemas, cascaveis, venha me visitar!:-)

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@MartaMartinha, a Chapada é sensacional e fiquei surpresa ao descobrir que existem tão poucos posts no MOCHILEIROS. Nosso Brasil é lindo demais e essa região foi uma das mais bonitas que conheci até hj... então achei que merecia furar a fila de alguns posts, rsrsrsrs! Um grande beijo!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Karla CoutinhoKarlinha, que saudades também! Estou esperando o post da Hannah, hein? Que bom que gostou do relato e das fotos... nosso país é deslumbrante! A cada dia me sinto mais e mais privilegiada por ter nascido aqui!!!! Estou sempre buscando a luz no fim do túnel quando sinto que não atingi meus objetivos ou quando algo não saiu como planejado. O bom é que parece sempre haver uma luz, mesmo que fraquinha no começo! Um grande beijo!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Patricia MerellaQue legal saber disso, Patricia!!!! Essa região é linda! Pena que muitos dos mirantes estavam fechados, mas os paredões são fascinantes. O Marcelo apelidou a região de "Arizona brasileiro" porque ele esteve no Grand Canyon e encontrou semelhanças com o lugar. Um grande beijo pra vc! A Bélgica também é liiiiinda, quero voltar!

Cy disse... [Responder comentário]

Kátia, as suas fotos estão cada vez mais incríveis!

Parabéns pelo post!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Anna LuciaObrigada pelo comentário, Anna!!!!! A Chapada é realmente sensacional e tem muitas vistas e formações rochosas de tirar o fôlego! Nosso Brasil é lindo!!!!!!!! Bjs!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@angelaUau, Angela, que aventura!!!!!!! Se a cascavel for discreta, por mim, tudo bem, rsrsrsrs! Parece que elas só atacam se forem ameaçadas, o que não é meu objetivo! Amei estar tão próxima da natureza e de paisagens tão diferentes das do Rio de Janeiro! Viajar é bom demais! Beijão!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@CyCyt, muito obrigadaaaaaaaaaaaaa! Fico feliz que tenha gostado das imagens tratadas por mim. Qualquer dia desses pretendo fazer um post com dicas de como melhorar fotos no Photoshop com alguns exemplos das minhas fotos originais e depois de passarem pelos filtros de brilho/contraste/nitidez/sombra. Pode me cobrar! Um beijão!

Anita disse... [Responder comentário]

Amigaaa que fotos incríveis são essas??? amei o post.

/anitamakingof.blogspot

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@AnitaObrigada, querida Anita! Fico muito feliz com o seu comentário porque eu queria demais divulgar esse lugar lindo, foi um final de semana muito especial e cada vez me apaixono mais pelo nosso país! Biejos!

Eu que fiz... ou quase isso disse... [Responder comentário]

Katia é um sonho esta sua via de turista! como eu tenho 2 filhas vou ter que deixar estes planos para daqui uns 18/20 anos, enquanto isso vou curtindo e aprendendo com vc, adorei saber que o Marcelo faz os relatos no Mochileiros eu sempre dou uma pesquisadinha por lá, embora eu não viage muito, mas gosto de saber valor, indicações, assim é mais fácil sonhar com o que se pode.

Bjs

Gélia

Anny (Cristiane) disse... [Responder comentário]

Bonfa, amei. Amo natureza e passeios assim, está na minha lista de viagens. Lindas fotos. Beijinhos

Gabi disse... [Responder comentário]

Isso só mostra para nós como o nosso Brasil é lindo!

Beijos

HSS disse... [Responder comentário]

Que belo passeio, fiquei com vontade de conhecer esse pedaço do nosso Brasil!
Mais um lugar para a minha lista de querência rsrsrsrs
Bjs
Helia

Casar é assim... disse... [Responder comentário]

Noooosa....quantos lugares lindos vcs conheceram em um final de semana...!
E essa lagoa azul? Lindaaaa!!!
Acho que eu tenho um pouco de medo desses passeios com mata, bichos e etc...rsrs...ainda bem que é obrigatório entrar com guia, né????

Ahh, e quanto aos preços das passagens eu consegui comprar super baratinho pro Rio tbm, com 2 meses de antecedência, pq se fosse pra comprar agora, já viu, né?
Pena que as passagens pra ir de sexta à noite e voltar no domingo à tarde ou noite sempre são mais caras =/


Beijoss!!!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Eu que fiz... ou quase issoOi, Gélia! Que legal saber que vc lê o Mochileiros! O Marcelo até pensou em fazer um blog de viagens, mas ele é meio tímido e prefere ficar escondidinho por lá! Viajar é muito bom e sempre tem um destino ideal pra cada pessoa e cada orçamento! Por isso a gente vive pesquisando! Um grande beijo e ótimas viagens!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Casar é assim...Gábi, comprar passagens com antecedência é a melhor coisa!!!!! Se não fosse assim, a gente não poderia viajar com a mesma frequência! E estar de olho nas promoções é uma ótima maneira de aproveitar bons descontos e encontrar pacotes na metade do preço!!!!!! Um grande!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@HSSQue legal!!!! Eu só conhecia a Chapada de nome e não sabia exatamente o que iria encontrar. Foi o Marcelo que programou todo o passeio e fiquei feliz porque ele superou todas as minhas expectativas! Beijão!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@GabiGabi, somos mesmos privilegiados por morar no Brasil!!!!! Até nossos vizinhos tem paisagens maravilhosas: Argentina, Chile e Bolívia foram os lugares do mundo que mais me fascinaram em termos de belezas naturais! Um grande beijo!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Anny (Cristiane)Oi, Anny! Que bom que gostou do post! A Chapada é linda e tem muitos passeios a oferecer. Se tivéssemos mais dias, conheceríamos muitos outros lugares sensacionais! Beijão!

Flavia disse... [Responder comentário]

Kátia, as fotos estão lindas, os comentários que vc. faz então...conseguem nos transportar ao lugar, muito emocionante mesmo.
Obrigada por compartilhar conosco!
beijos

Georgia disse... [Responder comentário]

Katia, Christian qdo foi ao Brasil pela primeira vez tomou banho na Lagoa Azul, tem foto dele com um amigo totalmente despidos, rs e acampou na regioa pporque nao tiveram como voltar. Se nao fossem as fotos eu nao iria acreditar imagina isso em 1991.

Adorei as imagens.

Vc tirou as fotos das árvores de baixo para cima, foi?


Grande beijo

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@FlaviaSou eu que agradeço seus elogios e gentileza, Flávia! Gostei de saber que viajou junto comigo! Um beijão!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@GeorgiaQue legal, Georgia! Os estrangeiros amam a nossa terrinha!!!! Isso mesmo, a dica de tirar as fotos de baixo pra cima foi da nossa guia Márcia porque o marido dela é fotógrafo! Como o céu estava lindíssimo, acho que o efeito ficou legal, né? Um beijão!

Anapaul@ disse... [Responder comentário]

Simplesmente maravilhoso! Seu relato e suas fotos me fizeram viajar!
Abraços!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Anapaul@Obrigadíssima, Ana! Também viajo muito por meio de fotos e relatos! Fico feliz que tenha tido essa sensação! Um grande beijo!

Flávia Mergulhão disse... [Responder comentário]

Lindo lugar, fotos maravilhosas, mas a cobra eu dispenso...iiiiiccc...rsrrsrsrs
Bjos =)

Mariacininha disse... [Responder comentário]

Que maravilha! O lugar, a as fotografias, coloquei algumas no meu Pinterest. Lindas Katia, fora você que é uma linda também.

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Flávia MergulhãoPô, Flavinha, foi a cobra que deu emoção ao passeio, rsrsrs! Não, tô brincando, também dispensaria esse encontro, rsrsrsrs! Um beijo enorme!!!!!!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@MariacininhaVocê é que é uma liiiinda! Super orbigada pelo carinho e elogios! Beijão!

Roberta Lito disse... [Responder comentário]

Oi Katia!

Belas fotos, nosso país é muito rico de diversidade,temos de tudo um pouco, não é mesmo? Agora, que medo daquela cascavel...rsrs. Bom feriado!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Roberta LitoÉ verdade mesmo, Roberta! Somos muuuuuito privilegiados!!!!! O engraçado é que eu fiquei com um certo medo da cobra, claro, mas ouvindo a opinião de algumas amigas, eu até comecei a achar que sou corajosa, rsrsrs! Muitas delas disseram que dariam meia volta e ficariam quietinhas no carro até a hora de ir embora!!!! Um beijão!

Taia Assunção disse... [Responder comentário]

Chapada é tudo de bom, já fui em muitos Festivais de Inverno, aí. Marido tem um mano e uma mana, que moram em Cuiabá e meus sogros, também tem casa lá. Menina, tu comeu jatobá...rsrsrsrs...a textura é muito engraçada, gosto não :-( Beijocas!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Taia AssunçãoTaia, a textura é engraçada mesmo, achei parecido com leite Ninho, não tem gosto de fruta! Ah, a gente ficou doido pra voltar e explorar o Pantanal, deve ser lindo demais! Um grande beijo!

Babi Mello disse... [Responder comentário]

Bonfa, anda tão corrido que só agora tive tempo para ver o post sobre a minha Chapada e infelizmente alguns pontos estão interditados ou por falta de estrutura ou por questão de vigilância sanitária é muito triste dizer, mas é um fato.
Gostei do post e fico feliz por essa viagem ter passado na frente de algumas outras que você já fez, afinal vc é mto viajada.
Chapada é realmente linda, tenho mto orgulho e espero que você volte para cá... Tem mta coisa que vc não viu e bom feriado.
Bjos e seja sempre bem-vinda a minha terra.

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Babi MelloOi, Babi! Que saudades! Te entendo perfeitamente, meu ritmo está aceleradíssimo também, ainda mais essa semana que é curtinha por causa do feriado! Ah, esse post tinha que furar a fila, rsrsrs! Realmente achei a natureza riquíssima na Chapada e fiquei surpresa por não haver muitos posts no MOCHIELIROS. Queremos voltar sim, e também conhecer o Pantanal! Conhecemos um casal de Cuiabá com dois filhos na pousada que passa um final de semana a cada 15 dias na Chapada. Eles nos disseram que realmente tem muita coisa pra conhecer!!!!! Um beijo enorme e ótimo feriado!

Unknown disse... [Responder comentário]

Amei! Lindo passeio Katia.Obrigada por compartilhar.Fotos maravilhosas!Um final de samana de alegrias e paz para voce. Bjs. Célia.

Daniel disse... [Responder comentário]

Oi Kátia! Sempre entro no site para ver seus posts sobre viagens! Muito bom seus relatos! Vou cobrar também o guia de como melhorar as fotos no photoshop! hehehe
;)
bjao
Daniel

Atelie Maria Gulosa disse... [Responder comentário]

Realmnete nosso brasil tem lugares maravilhosos!!!suas fotos são lindas ,uma curiosidade qual o modelo da sua camera

Atelie Maria Gulosa disse... [Responder comentário]

Realmente nosso Brasil tem lugares maravilhosos e uma pena que são poucos divulgados,suas fotos estão lindas apenas curiosidade qual o modelo na camera

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

Muito obrigada pelo comentario! Minha camera e uma sony h70, mas eu sempre trato as imagens no photoshop. Qualquer dia desses, eu preparo um post com algumas dicas de filtros para melhorar a qualidade das fotos. Beijos!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

Daniel, pode cobrar mesmo! Vou gostar de preparar esse post!!!!!!! Beijos

Dani Hoffmam disse... [Responder comentário]

Como nosso Brasil é lindo!!!
Cada foto que dá vontade de comprar as passagens imediatamente!!!

BJs,
Dani

Léia Silva disse... [Responder comentário]

Amiga querida
Que sonho essa viagem! Isso sim é um fim de semana incrível!
As tuas fotos ficaram maravilhosas e não sei como conseguiu ter sangue frio para fazer a foto da cobra, pois tenho pavor desse bichinho!
Nossa, também fiquei chocada com os preços das passagens! Também programamos nossas viagens sempre para não ter surpresas desse tipo depois.
Hehehehe, é verdade, o jatobá tem o sabor parecido mesmo com o leite ninho:)
Bjo grande
Léia

Unknown disse... [Responder comentário]

Estou reelendo esse post e viajando através das fotos.Estou emocionada por isso sou tua fã e seguidora o nosso Brasil é lindo!Pretendemos(Eu e Marido) em breve conhecer a Chapada dos Guimarães! Bjinhos. Célia.

Alberto Freitas disse... [Responder comentário]

dicas legais e inspiradoras
Um Post que complementa http://www.viagembem.net.br/chapada-dos-guimaraes/

Alberto Freitas disse... [Responder comentário]

dicas legais e inspiradoras
Um Post que complementa http://www.viagembem.net.br/chapada-dos-guimaraes/

Related Posts with Thumbnails