segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Resumão das férias na Colômbia - parte 2: Cartagena de Indias e Playa Blanca

As muralhas da encantadora cidade de Cartagena de Indias ou, simplesmente, Cartagena

Igreja de São Pedro Claver

Escultura em ferro do artista Edgar Carmona

Praça da Alfândega

Fachada do Teatro Heredia, o principal espaço artístico de Cartagena

Casa amarela com porta azul turquesa: que belo contraste!

As sacadas repletas de flores estão por toda a parte

Cores vibrantes são a marca registrada das casas coloniais

Charmosas portas e janelas trabalhadas em madeira

Castillo de San Felipe de Barajas
Passeio de barco para fazer snorkelling e visitar o Oceanário

As águas intensamente azuis de Playa Blanca

Um dos melhores pratos que eu já comi na vida!!!!
Uma boa pedida para se refrescar é experimentar sorvetes de frutas exóticas, como o tomate de árbol

Charrete indo em direção à Plaza de Los Coches
Iluminação noturna nos arredores da “Puerta del Reloj”
O badalado Café del Mar junto à muralha que cerca a cidade
“Importante é aproveitar o momento e aprender sua duração, pois a vida está nos olhos de quem sabe ver.”

Gabriel García Márquez

Cartagena de Indias, ou simplesmente, Cartagena, é um dos principais destinos turísticos da Colômbia e está situada a pouco mais de mil quilômetros da capital Bogotá, às margens do mar do Caribe. Chegamos na cidade à noite, passeamos um pouco, jantamos e voltamos ao hotel para descansar, ansiosos para desbravar as atrações principais no dia seguinte.

Cartagena é uma cidade charmosíssima, animada e cheia de história. Suas construções em estilo colonial ostentam lindas sacadas ornamentadas com muitas flores. É considerada Patrimônio Histórico da Humanidade pela Unesco e guarda um dos conjuntos arquitetônicos mais preservados do continente.

O centro histórico fica um pouco distante da orla praiana, mas na minha opinião, é a melhor região para se hospedar e ainda possui um atrativo adicional: os oito quilômetros de muralhas que o cercam, construídas no período da colonização com o objetivo de evitar a invasão de povos inimigos. É possível passear sobre as muralhas e avistar belas paisagens.

“Palanquera”, figura típica que vende frutas frescas vestindo roupas bem coloridas

Eu simplesmente amei esse lugar e acho que foi o ponto alto da nossa viagem de férias à Colômbia. Apesar de também ter gostado muito de San Andrés e seu mar de sete cores, penso que Cartagena é um destino turístico mais completo para o meu estilo de viajar. Além de praias com água azul turquesa e areias branquinhas a poucas horas de distância, a cidade oferece uma ótima infraestrutura de hotéis, bares, restaurantes e ainda conta com museus, igrejas e variadas atividades culturais.

Ficamos hospedados na pousada CASA ABRIL II, que achamos simpática e bem localizada. Por uma enorme coincidência, dos 7 quartos disponíveis, 4 estavam sendo ocupados por brasileiros. Parecia que havíamos invadido a cidade, rsrs!!!!

Aproveitamos o dia para fazer o reconhecimento do local e passear sem destino certo. Eu não conseguia parar de clicar as lindas fachadas, sacadas, portas, janelas e outros detalhes arquitetônicos das casas que vimos. É tudo tão alegre e colorido!!!!

Acho que fotografei essa casa azul todos os dias. É que eu gosto de registrar os mesmos lugares em diferentes momentos para ver como a iluminação interfere no resultado das fotos.

Percebi que existem muitos hotéis e spas dentro da cidade muralhada, mas várias casas bem preservadas são residências mesmo… um charme!!!!

Detalhe das grades de ferro que protegem as janelas altas

Detalhes da arquitetura local que me deixaram fascinada!!!!

Detalhes da arquitetura local que me deixaram fascinada!!!!

Nesse primeiro dia conhecemos praticamente todas as ruas do Centro e de San Diego. Vimos um carro do Google street view circulando pela cidade e o Marcelo lembrou que a Colômbia não estava mapeada até a data da nossa viagem. Será que nossa presença foi registrada pelas câmeras?

Nas Bóvedas, junto à muralha, há várias lojinhas dentro de um edifício de cor mostarda ornamentado por mais de 40 grandes arcos. A antiga prisão é um lugar bastante agradável para passear e fazer comprinhas. Nesse dia entrei em contato com o artesanato típico e comecei a ficar de olho nas coloridas bolsas de linha feitas à mão…

Caminhar pelas muralhas e sentir a brisa fresca do mar é uma delícia, ainda mais no calor que fez por lá no fim de novembro.

Também é legal fazer umas paradinhas de vez em quando para admirar o casario colonial ou o mar lá do outro lado da rua.

“Bastou dar um passo dentro da muralha para vê-la em toda sua grandeza à luz violeta das seis da tarde, e não pude reprimir o sentimento de ter voltado a nascer.”

Gabriel García Márquez

O escritor Gabriel García Márquez, de quem sou fã, ambientou vários de seus romances em Cartagena. Por conta disso, foi criado um roteiro especial em homenagem a ele. O tour “A Cartagena de García Márquez – Histórias reais e imaginárias” mescla ícones da cidade com locais relacionados à biografia do ganhador do prêmio Nobel de Literatura. Não fizemos esse passeio, mas achei a iniciativa bastante interessante.

Mais detalhes da arquitetura colonial

O Teatro Heredia é o principal espaço artístico de Cartagena. Restaurado em 1998, é considerado um dos teatros mais bonitos do continente americano.

Detalhe da fachada lateral do Teatro Heredia

À esquerda, obra do escultor Edgard Carmona e à direita, estátua do Almirante Jose Padilla em frente ao Museo Naval del Caribe

Esse belo espelho d’água fica na praça em frente ao Museo Naval del Caribe, que tem como principal tema a história naval de Cartagena e do mar do Caribe. O edifício abriga exposições de peças navais, arqueologia marinha, história da navegação e da Armada da Colômbia.*

A Iglesia de San Pedro Claver foi batizada assim em honra do padre Pedro Claver, o primeiro santo a ser canonizado no Novo Mundo por conta do seu trabalho humanitário com os escravos e a luta pela liberdade. No anexo, datado de 1603, estão o Claustro e Museu São Pedro Claver, no qual ele viveu durante quase quarenta anos e onde é possível conferir parte da sua vida e obra.

Em frente à igreja fica uma praça bem bonita que abriga o prédio do Museu de Arte Moderna. Nesse pequeno espaço, ornamentado por muitos vasos de plantas, há várias esculturas de ferro de autoria do artista Edgar Carmona representando cenas do cotidiano.

Detalhes das esculturas em ferro criadas por Edgar Carmona

A praza normalmente fica repleta de vendedores ambulantes e agentes de turismo, mas é um lugar delicioso para descansar e contemplar a beleza de Cartagena.

Detalhe das floreiras revestidas de mosaicos

Contornando o prédio amarelo, onde fica o simpático restaurante SAN PEDRO, chegamos à Praça da Alfândega, uma área espaçosa cercada por belos prédios coloniais.

Detalhe da Praça da Alfândega

A Porta do Relógio, símbolo de Cartagena em estilo neogótico, é uma das principais entradas da cidade. Perto do portal, se encontra a centenária "Plaza de Los Coches", cenário de acontecimentos importantes onde é possível pegar uma charrete e percorrer todos os cantos do centro histórico.

Estátua de Dom Pedro de Heredia, fundador de Cartagena, na Plaza de Los Coches

Fizemos um pequeno desvio e saímos da parte mais badalada do centro histórico para conhecer Getsemani e La Matuna, áreas que são bem menos interessantes turisticamente, mas oferecem hospedagem econômica. Alguns dos melhores albergues da cidade estão na famosa Calle de Media Luna.

Retornamos para a região central e fizemos uma pausa na Praça de Santo Domingo para tomar uma cervejinha, mas no caminho avistei uma filial da LA BODEGUITA DEL MEDIO, o famoso bar cubano que é considerado atração turística e tem suas paredes repletas de assinaturas e versos de seus visitantes ilustres. Um dos destinos no topo da minha lista de viagens dos sonhos é Cuba e o país ocupa as primeiras posições desde que eu pesquisei sobre ele para o meu projeto final da faculdade: a identidade visual de um bar chamado “Café Cubano”. Na época, comprei livros de história, fotografia, culinária e simplesmente me apaixonei por Cuba. Porém, como o Marcelo já esteve no país, acho difícil ele querer voltar comigo antes de conhecer os destinos TOP TOP da lista dele, rsrs!

Sendo assim, aproveitei a oportunidade para experimentar o auto-proclamado “melhor mojito do mundo”, que é servido no bar. O drink estava gostoso, mas ainda prefiro a nossa brasileiríssima caipirinha!!!! O LA BODEQUITA tem filiais em diversos lugares como México, Estados Unidos, Ucrânia, República Tcheca, Macedônia, Eslováquia, Venezuela, Alemanha, Grã Bretanha, Argentina, Austrália e Líbano.

A decoração interna é bem eclética e mistura artesanato típico, instrumentos musicais, bandeiras de Cuba, fotos do Fidel e do Che Guevara, retratos de santos etc.

Em seguida, pesquisamos os preços das cervejas servidas nos bares que ficam na Praça de Santo Domingo para escolhermos a mais barata, já que os valores variam consideravelmente. Pedimos uma gostosa porção de bruschettas para acompanhar a bebida e descansamos um pouco admirando os arredores da praça onde está situada a Igreja e Convento de Santo Domingo e a escultura do artista colombiano Fernando Botero, conhecida como La Gorda.

”La Gorda” de Fernando Botero

Igreja de Santo Domingo

Depois da pausa, voltamos para a praça onde fica a igreja de São Pedro Claver.

Estátua de São Pedro Claver com um escravo

Fundado por padres jesuítas no início do século XVIII, esse convento barroco com fachada de pedras serviu de residência para São Pedro Claver. A visita permite conhecer o interior da igreja, assim como o altar principal onde fica a urna com os restos mortais do santo, a área do claustro e o Museu de Arte Sacra com esculturas e pinturas relacionadas a esse padre declarado santo pelo Papa Leão XIII. O local abriga também um centro de estudos da cultura afrocaribenha e o Museu Arqueológico.*

São Pedro Claver passou os últimos anos de sua vida em um pequeno aposento anexo à sala da foto acima, paralisado pelo mal de Parkinson. Ele morreu em 1654 e o piso de madeira é original daquela época.

Em seguida, fomos conhecer o Palacio de la Inquisición e Museo Histórico, um dos museus mais interessantes de Cartagena. Dentro da construção erguida em 1776, o visitante tem a oportunidade de aprender sobre as origens indígena e africana da costa do Caribe colombiano e o caldeirão cultural que se formou nessa região, quando houve o encontro dessas culturas com a europeia.*

O prédio em si é muito bonito e seus belos arcos abrigam algumas salas dedicadas ao período de inquisição, que começou em 1610 e durou pouco mais de 200 anos. Em estilo colonial com detalhes em barroco, o local foi utilizado para inquéritos e possuía câmaras de torturas, prisões e salas para os julgamentos dos suspeitos de heresia ou bruxaria.

Instrumentos de tortura usados na época da inquisição

o Tribunal de Cartagena tinha como objetivo restabelecer a fé católica, principalmente a dos que eram acusados de magia negra.

O acervo conta com objetos de tortura (originais e réplicas), documentos da época e um curioso questionário que se utilizava para entrevistar supostas bruxas.

Instrumentos de tortura usados na época da inquisição

O Palacio de la Inquisición e Museo Histórico fica em frente à Plaza de Simon Bolívar, um espaço fresco e agradável com muitas árvores e bancos. É o ponto de encontro da galera local.

No meio da praça, há uma estátua de Simón Bolívar, militar e político venezuelano responsável pela independência de várias colônias espanholas.

Adorei essas garrafas gigantes que são, na verdade, lixeiras para latinhas e vidro. Além de chamarem a atenção pela criatividade, cada peça exibe uma frase de uma personalidade importante e influente na história da humanidade.

Quando passamos em frente à sorveteria EL PARADISO, lembrei de ter visto uma recomendação do lugar em um dos guias de viagem que o Marcelo levou. A decoração é bem interessante e tem um ar meio parisiense, sofisticado e despojado ao mesmo tempo.

A variedade de frutas “exóticas” era grande e os sorvetes tinham uma aparência bem cremosa. Foi difícil escolher entre corozo, lulo, zapote, limonada de coco ou flor de Jamaica…

… mas optamos por duas bolas bem diferentes. A que ficou por baixo era de café, que escolhemos por causa da sugestão do tal guia, e a que ficou no topo era de tomate de árbol (ou tamarilho), uma espécie de tomate pequenininho, parecido com o nosso cereja, uva ou perinha, só que mais doce e azedinho, ideal para preparar sucos, geleias e compotas. Os dois sabores estavam bem gostosos e, no dia seguinte, repetimos a dose na sorveteria SAN LORENZO, que também oferecia muitas opções de frutas que não existem no Brasil.

Poste de luz com bicas e pias

No fim da tarde, fomos ao porto pesquisar sobre os barcos que fazem passeios às Islas Del Rosario e Playa Blanca. É bom averiguar os preços com as agências locais antes de fechar um valor, já que os pacotes variam entre 40 e 60 Pesos Colombianos na lancha rápida, por exemplo.

Estavamos bastante cansados, voltamos ao centro e paramos no EL BISTRO para relaxar. Era happy hour e a cerveja estava em promoção. Gostamos do lugar que atrai vários turistas estrangeiros, já que seu proprietário é alemão. Nossa intenção era procurar um restaurante para jantar, mas quando vimos o cardápio afixado na parede, mudamos de ideia. A descrição dos pratos prometia uma boa refeição e decidimos experimentar.

Não nos arrependemos nem um pouco!!!! Pelo contrário, adoramos a comida suculenta, caprichada e bem temperada. De entrada, veio uma saladinha colorida com verduras e legumes variados.

O Marcelo pediu um prato de carne que, além de bonito, estava bastante saboroso, segundo ele.

E eu comi uma das melhores refeições da minha vida, sem exagero!!!!! Os camarões e anéis de lula com molho antilhano de curry, tomate e manteiga vieram acompanhados de arroz de coco com especiarias, plátano frito e vinagrete de cebola roxa. Estava tudo maravilhoso e cheguei a comentar com o Marcelo que nossa decisão foi super acertada. O lugar é simples e tem mais cara de bar, então não esperávamos muito. Sendo assim, nosso veredito foi “UAU, que delíciaaaaaaaaaaaaaaaa”!!!!!!!

Quando a noite caiu, fomos dar uma volta pelo centro histórico e admirar a iluminação noturna antes de retornarmos ao hotel.

Mais eis que durante nosso passeio, nos deparamos com uma filial da rede de bares/restaurantes internacionais CAFÉ DEL MAR, que começou em Ibiza, na Espanha, e se espalhou pelo mundo. O local ficou famoso pelo música ambiente no estilo “lounge” e existem alguns CDs com compilação das músicas mais tocadas por lá.

As mesas e cadeiras ficam ao ar livre, encostadas na muralha de frente para o mar… o cenário é muito bonito e acho que é um ótimo recanto para apreciar o pôr do sol. Os drinks são meio caros (20-25 reais), mas decidimos nos presentear com essa experiência. Só que não é preciso gastar muito para curtir o ambiente e as músicas do Café del Mar. Basta pedir uma cervejinha ou refrigerante a um dos vendedores ambulantes que ficam nos arredores, encostar na muralha e aproveitar o momento!!!!

Fomos cedo para o porto pegar a lancha rápida que nos levaria a uma das Islas del Rosario e à Playa Blanca. O trajeto de lancha dura pouco mais de uma hora, mas há também a opção mais econômica de pegar um barco grande com dois andares que faz o percurso em duas horas e meia. Deve ser mais cansativo, porém mais animado, já que o barco tem música e bar.

Como eu gostaria de ter sido avisada antes, deixo a dica aqui: quando a lancha alcança o mar, ela navega a uma velocidade de 80 km/h e vai quicando de uma maneira impressionante. Cheguei a ficar com medo em vários momentos e os solavancos me deixaram com hematomas no braço direito. O Marcelo não teve medo, mas a coluna dele sofreu um pouco. Enfim, é um daqueles passeios com “emoção”, ainda mais porque ficamos lá na frente da embarcação e meu coração palpitava toda vez que o barco encontrava uma onda grande… ufa, que sufoco! Perdi o medo de avião (pegamos 55 voos em 2012 – meu recorde!!!!), mas ainda sinto um desconforto enorme durante turbulências e por isso o passeio de barco me deixou incomodada. Porém, se vocês me perguntarem se eu o faria de novo, digo e repito: faria sim, vale a pena, os cenários que vimos no fundo do mar são impagáveis e a Playa Blanca é deliciosa!!!!

Chegando em uma das Ilhas do Rosário, o visitante tem a opção de visitar o Oceanário ou fazer snorkelling. Escolhemos dar uma olhada no fundo do mar e alugamos o equipamento por 25 COP (Pesos Colombianos). Ficamos impressionados com as cores dos peixinhos, dos corais e de outros habitantes dessa região como poliquetas e Caranguejo-Aranha (obrigada, Flávia Mergulhão, rsrsrs!). Quanta riqueza existe no fundo do mar do Caribe!!!!! Achei a experiência incrível e o pessoal nos deixou à vontade durante uma hora para explorarmos as redondezas e nos deliciarmos com as imagens deslumbrantes que, infelizmente, não pude registrar com a minha câmera comum.

Em seguida, fizemos uma breve parada no Oceanário para o restante do grupo embarcar e comprarmos alguma coisa pra beber. Vários vendedores nos ofereceram uma porção de ceviche. Deve ser gostoso visitar a atração e depois relaxar na praiazinha… quem sabe de uma próxima vez?

O barco seguiu para Playa Blanca com mais solavancos e um pouco de chuva.

Playa Blanca tem muitas barraquinhas e quiosques que oferecem comes & bebes variados, além dos restaurantes maiores.

Chegando lá, logo nos foi servido o almoço (peixe ou frango com arroz de coco caribenho), incluído no preço. Eu fiquei positivamente surpresa com a qualidade do peixe. Sinceramente, não espero muita coisa dessas refeições incluídas em excursões. Normalmente, acho o prato insosso ou ruim mesmo, mas o peixe estava muito bem temperado e desmanchava na boca!!!! Tirando as espinhas, foi perfeito. E o arroz de coco? Apaixonante!!!!

Pensamos em alugar duas cadeiras e uma barraca, mas mudamos de ideia e decidimos caminhar pela praia. Seguimos em direção ao local menos apinhado de gente e também onde a água parecia ser mais clarinha.

A questão era… o que fazer durante duas horas nesse pequeno pedaço de paraíso?

Talvez procurar um cantinho para sentar e relaxar…

… fazer pose pras fotos…

… e até mesmo, mergulhar, rsrsrs!

Voltamos à Cartagena no fim da tarde e percebi como a cidade também é linda vista do mar!!!!

Depois do banho, resolvemos dar uma volta pela cidade e aproveitei para registrar a iluminação noturna da bela igreja de São Pedro Claver. As cadeiras são do restaurante San Pedro, que deve ficar bastante animado na hora do jantar!

Nessa noite não fazíamos ideia de onde iríamos comer, mas queríamos algo fácil, rápido e simples como fast food. Quando era estagiária no meu primeiro emprego, saía para almoçar às 14h e comia sempre o mesmo lanche no Mac Donald’s. Eu fiz isso todos os dias durante 4 meses, acreditam? O pior é que não enjoava. Mas, com o tempo e a idade, comecei a implicar com esse tipo de comida, embora eu adore hamburguers gourmet como os do JOE & LEO’S. Sendo assim, resolvemos conferir a dica de conhecer o EL CORRAL, maior rede de hamburguers da Colômbia, que já havíamos visto em Bogotá e Medellín.

Resultado: ADOREI! Acho que o Mac Donald’s e Burger King deveriam se envergonhar daqueles sanduíches esmigalhados que servem no balcão. Os do EL CORRAL se parecem mesmo com as fotos do cardápio! Eu tive que registrar essa minha descoberta, rsrsrs! Observem as cebolas empanadas inteirinhas! Além disso, o sanduíche tem um tamanho maior do que o de seus concorrentes, vem com um molhinho de queijo à parte e há molho barbecue à vontade para os clientes. No meu “combo” veio aipim frito (yuca) sequinho e crocante e uma latinha da cerveja CLUB COLOMBIA.

No dia seguinte, o sol apareceu tímido e resolvemos conhecer o bairro de Bocagrande, que fica fora do centro histórico.

Vocês repararam na minha bolsa super colorida? Depois de observar dezenas de modelos nas vitrines, me encantei com esse e resolvi comprá-lo. Eu vi muitas estrangeiras usando esse tipo de acessório, que é bem típico. As bolsas são coloridérrimas (do jeito que eu gosto!), feitas à mão e seu preço varia entre 100 e 200 reais.

Achei o caminho até Bocagrande mais bonito e interessante do que as praias em si.

O Marcelo já havia me contado sobre os relatos de que as praias em Bocagrande não eram bonitas e o que posso dizer é que para nós, brasileiros acostumados com tantas paisagens lindas, realmente a areia e água escura desanimam.

Em Bocagrande ficam concentradas as grandes redes hoteleiras de 4 e 5 estrelas, que oferecem aos hóspedes todo o conforto e mordomia que necessitam para passar algumas horas nas praias escuras.

Bom, sinceramente, acho que é muito mais interessante procurar uma hospedagem dentro da cidade muralhada porque, além do charme das construções, o visitante fica pertinho das melhores atrações de Cartagena. Bocagrande tem ótimos bares e restaurantes, mas, na minha opinião, a melhor coisa do lugar é a vista do centro histórico, rsrsrs!

Ah, tá, tenho que confessar que esse lago cercado de prédios residenciais e hotéis é bem bonito e o lugar transmite uma sensação de paz e tranquilidade.

Em Bocagrande resolvemos experimentar pela primeira vez o café JUAN VALDÉZ e foi lá que comprei as lembrancinhas para um dos leitores do blog que acertassem o nome do país que visitei nas férias. Foi a Carmen Ferreira que acabou ganhando um conjunto de mimos e espero que ela tenha gostado!!!!

Como não posso ingerir muita cafeína, decidi pedir um delicioso malteado de mocha. Gostei tanto que acabei me sentindo inspirada para criar a receita publicada AQUI.

De volta ao centro histórico, entramos rapidamente no Museu do Ouro, muito interessante, mas bem menor do que a atração com o mesmo nome em Bogotá, que é sensacional!!!!

É curioso perceber que artefatos encontrados há milhares de anos parecem acessórios tão atuais, como os brincos e o colar do mix de imagens acima.

Os brincos acima foram inspirados em tramas de tecidos produzidos na era pré-colombiana. Vimos muitos exemplos como esse em Bogotá.

Depois de nos refrescarmos um pouco no ar condicionado do museu, seguimos para o Castelo de San Felipe de Barajas, a maior obra militar espanhola no Novo Mundo.

O castelo era um dos maiores pontos de defesa da cidade e teve papel importante em várias guerras. Atualmente, funciona somente como ponto turístico. O Marcelo gostou muito de conhecer o local, subir, descer escadas, apreciar as vistas e perambular pelos túneis subterrâneos, mas sentiu falta de sinalização com informações históricas.

Para fazer uma visita mais completa, é necessário alugar um guia de áudio ou entrar no castelo acompanhado de um grupo de excursão.

De qualquer forma, acho que o passeio vale a pena e é possível ir caminhando do centro histórico até lá.

Não fomos ao Convento de La Popa, situado na parte mais alta da cidade, de onde parece haver vistas muito bonitas, mas já gostei muito de ver Cartagena a partir do castelo, observando o contraste entre as construções antigas e modernas lá embaixo.

Voltamos para o centro histórico passando pela Porta do Relógio, que já foi a única entrada da cidade.

Plaza de los Coches

Era tarde pra almoçar e cedo pra jantar, mas estávamos com fome e fomos ver se o recomendado restaurante LA MULATA CARTAGENERA ainda estava aberto. Acho que fomos os últimos clientes do dia, mas conseguimos comer muito bem e por um ótimo preço. O caldo de peixe foi cortesia da casa e estava bem gostoso.

Como no cardápio só tinha frutos do mar, o que o Marcelo não come, ele precisou optar pelo Mote de Queso, uma sopa típica que leva inhame, suco de limão, alho, cebola, queijo costenho e molho atoyabuey, que parece sour cream com sabor de queijo. Estava delicioso!

Meu prato foi mais elaborado e estava saborosíssimo, embora menos espetacular que o do EL BISTRO. Tratava-se de camarões ao molho de alho com arroz de coco e plátano frito. Gente, esse arroz de coco é tudo de bom… tenho que descobrir a receita e tentar fazer em casa!!!!

Quando saímos do restaurante, estava começando a escurecer. Passeamos nas muralhas mais uma vez e, depois de algum tempo, procuramos um lugar para beliscar alguma coisa antes de dormir, apesar da pouca fome.

Vimos um restaurante cuja fachada me chamou a atenção e perguntei se poderíamos entrar para dar uma olhada na parte interna. Não satisfeita, usei minha “caradepauzice” para perguntar se poderia fotografar o local e a simpática recepcionista disse que sim. Oba!!!!!

Gosto é realmente algo muito subjetivo, mas ambientes minimalistas não costumam me atrair. É por isso que adoro esse estilo de decoração que eu chamo de “tudo junto, misturado e colorido”! O ar de despojamento, a iluminação indireta e aconchegante, as peças inusitadas e criativas, a rusticidade das paredes… tudo me cativa e me faz ter vontade de escolher uma mesa e me deliciar com o ambiente.

Como havíamos almoçado tarde, infelizmente estávamos sem fome para jantar, mas demos uma olhada no cardápio e ele parecia interessante. Em um lugar decorado de forma tão bem pensada e caprichada, minha expectativa era a de que as comidinhas receberiam o mesmo tratamento e seriam visualmente interessantes. Bom, não deu pra conferir, mas se alguém tiver ido lá, me conta se gostou???? O nome do lugar é KRIOYO.

A área externa também é um espaço bastante agradável e funciona como bar. Na entrada do estabelecimento, há um manequim cortado ao meio que serve como vaso de plantas em cima de uma televisão antiga. Eu não usaria a peça para decorar a minha casa, mas adoro essas invencionices divertidas e extravagantes!!!! Se eu tivesse que decorar um restaurante, com certeza iria “viajar na maionese”, rsrs!

No fim das contas, decidimos comer uma pizza pequena no restaurante PIZZA EN EL PARQUE, que serve os clientes nas mesas ou na praça que fica logo em frente. O pessoal senta na mureta e come a pizza ali mesmo. A gente gostou e o preço é bom, mas é simples.

No dia seguinte, antes de pegarmos o voo para San Andrés, decidimos conhecer por dentro algumas atrações que estavam na nossa lista: a Igreja de Santo Domingo e a Catedral de Cartagena.

Começamos pela Igreja de Santo Domingo, bonita e rústica. O ingresso dava direito a um guia de áudio, mas confesso que eu não estava tão interessada na parte histórica e decidi me focar na parte arquitetônica, registrando os detalhes que mais me chamaram a atenção.

Estátua da Igreja de Santo Domingo

O altar da Catedral de Cartagena é muito bonito, todo esculpido em madeira colorida.

Antes de seguirmos para o aeroporto, demos uma passadinha no Portal de Los Dulces que fica na Plaza de Los Coches, dentro de um edifício de cor mostarda adornado com grandes arcos. Lá encontramos doces de frutas típicas, cocadas mescladas com chocolate, maracujá, goiaba e esse docinho de tamarindo que estou comendo na foto à direita. Vale a pena experimentar algumas guloseimas e levar outras pra casa!!!!

E assim terminou nossa estadia na cidade mais charmosa da Colômbia!!!! No ano que vem, pretendo dar continuidade aos posts dessa viagem e de outras nacionais que fizemos em 2012, se o tempo e o trabalho permitirem, é claro!

Um grande beijo pra todos com votos de uma semana bastante alegre e colorida!!!!

*Fontes:
http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/minhacidade/10.119/3445
http://www.revistainfovias.com.br/portal/materias/ed-07/152/_Tome_Nota
http://www.bestday.com.br/Cartagena-Colombia/Atracoes/
http://viagem.uol.com.br/guia/cidade/cartagena.jhtm
http://www.viajantes.com/actividades/iglesia-templo/iglesia-san-pedro-claver
http://oglobo.globo.com/boa-viagem/todas-as-cores-da-vibrante-cartagena-4497291
http://www.nosnomundo.com.br/2011/08/walking-tour-pelo-centro-historico-de-cartagena/

Bonfa-ass

18 comentários:

Marcela Pontes disse... [Responder comentário]

Que delícia de lugar, de comilança e de tudo mais!
Aproveitou bastante!
Bjksss

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Marcela PontesOi, Marcela!!!! Cartagena é mesmo apaixonante e a culinária local é muito saborosa! Gosto de pratos bem coloridos e cor é o que nào falta na cidade! Um grande beijo!

Ana Maria Braga disse... [Responder comentário]

Com certeza foi uma viagem muito proveitosa. Mas o que mais gosto nos seus posts são as suas fotos. Perfeitas, para mim. O colorido do local é de chamar atenção.
Obrigada por nos mostrar.
Aproveito para te desejar uma ótima semana. Bjs

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Ana Maria BragaOi, Ana! Super obrigada pelo elogio! Cartagena é uma cidade muuuuito charmosa mesmo, eu já tinha ouvido falar dela antes de viajar, mas nào quis ver foto nenhuma, justamente para me surpreender! Eu sabia que era um lugar lindo, mas não sabia que era tãããão lindo! As construções coloridas são apaixonantes e tem praias exuberantes a algumas horas de lá. É um passeio que recomendo a todos! Como é perto do Brasil, as passagens não saem muito caras e achamos a comida barata. O custo x benefício é ótimo!!!!!

Beijão!

Leentje Kerol Selmer da Silva disse... [Responder comentário]

Tudo muito lindo! E o azul do mar?!? Muito lindo. Fiquei curiosa nesse arroz de coco, como será que faz? Dá umas dicas para nós ;D
Bêzzo

Glaucia disse... [Responder comentário]

Estou me apaixonando pelas fotos lindas e esse colorido todo, seja ela no mar ou no céu ou ainda nas casas.
Linda cidade.

Bjos


Gláucia

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@GlauciaGlaucia, eu adoro cidades históricas como Paraty, Pirenópolis e Ouro Preto! Por isso amei Cartagena, que tem um estilo parecido e é super bem preservada! Além disso, tem praia, museus, teatro, bares e restaurantes deliciosos! É um destino turístico com muitas atrações!!! Bjs!

Simone Scharamm disse... [Responder comentário]

Oi, Katinha, querida,
Obrigada pelo kit de Natal, amei!
Confesso que não consegui ver nem a metade das suas lindas fotos, mas a descrição dos lugares e sabores me encantou! Minha internet não foi instalada ainda e eu estou aqui sofrendo com uma conexão super lenta,rs, mas já estou na casa nova, super feliz, espero poder receber você e o Marcelo aqui em breve para uma happy hour, ok?
Beijo grande!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Simone ScharammOi, Simone!!!! Que bom que gostou do kit, fico super feliz!!!!

Ah, que notícia boa que já está na casa nova! Simone, pode marcar que a gente vai te visitar quando quiser! Vamos adorar!!!!! Fica tranquila com relação ao post, me animei e escrevi muito, além de colocar uma grande quantidade de fotos... não consegui ser sucinta, rsrsrs! É porque amei essa cidade charmosa! Um grande beijo!

Nívia disse... [Responder comentário]

Oi Katia!
Acredita que estavamos definindo roteiro de lua de mel e Cartagena estava entre uma das opções. Suas postagens nos ajudaram muito.
O barco que vai a playa branca sai a qualquer hora? Precisa de reserva? Pensamos em dormir pelo menos uma noite lá. Queria ir tmb a San Andres mas só teremos uma semana. :(

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@NíviaOi, Nivia! Puxa, que coincidência! Espero que gostem da cidade tanto quanto eu gostei!!!! Acho que o ideal seria passar pelo menos 2 dias em Cartagena porque o passeio à Playa Blanca leva praticamente o dia todo. Os barcos saem por volta das 9 da manhà, a gente reservou na véspera, acho que não precisa de mais antecedência, mas é bom pesquisar os preços antes de fechar porque variam bem. Um grande beijo e divirtam-se bastante!!!!!

Claudia Liechavicius disse... [Responder comentário]

Katia,

Amei Cartagena. À começar por Gabriel Garcia Marquez que sou muito fã. Depois pela arquitetura charmosíssima. Talvez eu tenha curtido mais do San Andres pelas suas fotos. Playa Blanca parece um lugar lindo.

Gostei muito do que vi aqui hoje. Adoro esses países tão pertinho do Brasil e que muitas vezes deixamos de lado.

Aproveito para desejar um Feliz Natal e um ano de muitas viagens!

Beijos

Claudia

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Claudia LiechaviciusPois é, Cláudia! Também sou fã e amei a arquitetura da cidade! É charmosíssima mesmo!!!!! Cartagena tem muitas atrações para variados tipos de turista, por isso achei mais "completa" do que San Andrés e também gostei mais! Minha sogra já tinha ido à Cartagena há alguns anos e gostou muito, mas eu não quis rever as fotos de propósito para me surpreender! Adorei a cidade e acho que é um destino bem legal por ser perto e mais econômico. Realmente nosso continente é privilegiado, temos lindas paisagens por aqui!!!!

Um beijão com os mesmos votos de muitas viagens em 2013 e sempre!!!!

Casar é assim... disse... [Responder comentário]

Oi Bonfa!! Enfim vou conseguir ler pelo menos 1 dos posts da Colômbia...vamos lá:

Amei as casinhas de lá..já tinha visto através das fotos de uma amiga que foi pra lá, são encantadoras!! Não dá vontade de entrar em todas essas casinhas pra ver como é lá dentro tbm??? rsrs...

Eu tbm tenho vontade de conhecer Cuba =)

Humm..cada refeição com cara boa!! Camarões..hummmmmm!!!

Ahhh, esse mar do Caribe....é lindo mesmo né!!!

E a bolsa linda??? =)

Adorei Cartagena!

Beijoss!
Gábi



Marta disse... [Responder comentário]

Katita, quanta cor, alegria, lugares encantadores e comida boa! E a água cristalina??? E o sorvete? Hummmmm
Beijos

SÍLVIA OLIVEIRA disse... [Responder comentário]

Tô aqui, de queixo caído. Lindo relato, excelentes fotos. Fiquei feliz só de ler! Parabéns, o material está sen-sa-cio-nal! Bjs!

Decorando Sonhos disse... [Responder comentário]

Olá!
Amei as dicas...será meu próximo destino rs ....
Uma dúvida vcs pegaram o voo direto para Cartagena ou San Andres?!
Qual o hostel que ficaram? Vc indica? Quantos dias ao total de viagem?

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Decorando SonhosoI!!!! Vc vai adorar, cartagena é muito charmosa! Ih, acho que não consigo responder suas perguntas porque não lembro de nada que não escrevi aqui, rs! Mas vou copiar o link pros posts do meu marido e pode ser que vc ache essas informações lá: http://www.mochileiros.com/colombia-bogota-medellin-cartagena-san-andres-zipaquira-2-semanas-t76823.html

Beijão e ótima viagem!

Related Posts with Thumbnails