sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Você sabe dizer “NÃO”?

Minha convidada Jackie Freitas tem uma razão muito especial para estar aqui. Conheci seu blog há pouco tempo, li dois textos mais recentes e senti como se ela estivesse escrevendo pra mim. Suas palavras soaram como um alerta e eu me reconheci em cada parágrafo do texto reproduzido aqui hoje, com a permissão da autora.

Vamos conhecê-la melhor e saber o que pensa sobre o tema que está no título desse post?

bonfaconvida
Conheço algumas pessoas que não sabem dizer não. Acham que essa palavra mais do que uma recusa soa como ofensa! Muitas vezes acabam se prejudicando por não saberem negar uma invasão que, se não controlada, acontece gradualmente.

Sempre dizemos aqui em casa que “as pessoas são o que permitimos que elas sejam” e do mesmo modo, somos nós quem concedemos espaço para que nos invadam e assumam comando em nossa vida. Impor limites é fundamental para que cada um respeite a privacidade e individualidade. Limites aos outros e a nós também! Uma das primeiras palavras que aprendemos é o “não”! Desde cedo, muito mais do que recusa, o “não” nos é colocado como delimitador, como proteção e cuidados. À medida que crescemos, começamos a distinguir o peso da negativa e nem sempre a usamos da maneira correta.

Vejo pessoas negando um abraço carinhoso a um ente querido, mas aceitando pedidos inconvenientes de amigos. Por medo de magoar, aceitam e se calam. Sofrem pelos transtornos causados, preferem poupar aos outros da mágoa, mas não temem em causar danos a si.

Dizer “sim” sempre, não é estar fazendo bem. E a pergunta que deve ficar é se está sendo bom pra você também. Não estou sugerindo a começar a avaliar se haverá apenas benefícios, mas a ponderar se a permissividade não lhe trará danos, algumas vezes irreparáveis. Pessoas permissivas tornam-se alvos fáceis dos manipuladores e eles estão por toda a parte esperando uma oportunidade para o ataque.

Por isso, questione até onde concordar com o que os outros pedem não irá lhe prejudicar. E mais, se não prejudicará outras pessoas. Dizer que não está de acordo com algo que não te agrada é um dever para com a sua paz de espírito. Não é à toa que dizem que algumas pessoas confundem bondade com bobeira.

Eu não me incomodo em dizer não, principalmente quando percebo que o pedido irá me impedir de fazer algo que realmente considere importante. Muito menos se o pedido vier com condições que me comprometam de alguma forma. Aprendi a dizer não e, se machucar quem o recebe é porque certamente me machucaria muito mais caso eu concordasse. Amigo de verdade não impõe, ele pede e compreende a recusa. Não se magoa e não te cobra explicações. Não vá além de seus princípios e desejo apenas para agradar outra pessoa. Mantenha a sua personalidade e não seja, como diz meu irmão, “Zé Piolho”. Ir pela cabeça dos outros não é vontade própria ou de agradar... quase sempre é um indicador de que alguém sairá machucado e seja quem for, não é legal!

Cuidado com o que os outros desejam e com aquilo que você permite!

Jackie Freitas

Dizer sim quando quero dizer não é dar mais valor aos outros do que a mim, é não colocar meus limites, e isso é não me respeitar… É o mesmo que dizer que o que eu sinto não vale nada, que os outros podem passar por cima de mim à vontade. E eles passam, sem dó nem piedade. Hoje estou aprendendo a dizer não. Quando não quero alguma coisa, simplesmente digo não. Sem raiva nem emoção. Um não é só uma negativa. É nosso limite. Um direito que temos de decidir o que desejamos ou não fazer. A isso se dá o nome de dignidade. Quando nos colocamos com sinceridade, dizendo o que sentimos, somos respeitados.

(Zíbia Gasparetto)

………………………………………………………………………………………………………………………

Apesar de não ser novidade pra mim e de já ter sido alertada por amigos próximos sobre minha dificuldade de dizer “não”, o texto da Jackie me trouxe uma perspectiva um pouco diferente, que é a questão cumulativa. Se você não consegue dizer “não” para uma mesma pessoa durante um período prolongado de tempo por medo de parecer egoísta, de ficar numa situação desagradável ou simplesmente por querer ser gentil em detrimento do mal que isso lhe causa, esse desconforto vai se acumulando até chegar a ponto de dizer: “não dá mais, esse relacionamento não me faz bem”.

Já aconteceu comigo e, estando totalmente de acordo com o texto da Jackie, não pretendo fugir da responsabilidade de ter permitido a invasão gradativa porque fui eu que concedi esse espaço, fui eu que não soube impôr limites nem respeitar minha intuição. Com isso, me afastei de mim mesma e do que acredito que seja o melhor para a minha paz de espírito.

Não pretendo culpar ninguém além de mim por esse desfecho e gostaria de deixar esse texto como um alerta para pessoas como eu que, por medo de desagradar os outros, acabam se desagradando. Essa é uma lição que precisamos aprender!!!!

Para ler mais textos da Jackie Freitas, basta acessar o seguinte link:

http://fenix-mulheres.blogspot.com

Um grande beijo e um final de semana bastante divertido, alegre, agradável e prazeroso!!!!

Bonfa ass

53 comentários:

Camilla Nesti disse... [Responder comentário]

Lindo texto!! Parabéns pela escolha mais uma vez!!
bjoksss ;o)

Ponto e Art disse... [Responder comentário]

Texto mto, mto bom.
Beijo grande.

Nane Araújo disse... [Responder comentário]

Bem reflexivo esse tema...

Confesso que ainda tenho um pouco de dificuldades em dizer "não", mas apenas em determinadas situações.Dizer "não" também me faz bem e por vezes me sinto até aliviada em não me comprometer com problemas alheios.Mas há aquelas pessoas que querem te vencer pelo cansaço, são extremamente insistentes não respeitando o nosso limite e nossas vontades.

Beijos Kátia e um ótimo fds!

Nane Araújo disse... [Responder comentário]

Aproveitando para parabenizar o chá entre blogueiras, que delícia!

Beijos querida!

Cucchiaio pieno disse... [Responder comentário]

Oi linda
Na psicoterapia trabalhamos muito a assertividade com os clientes e é incrível a dificuldade em saber dizer não! Adorei.
Bjo grande
Léia

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

Nane, seu comentário foi ótimo! Tenho a impressão de que pessoas muito insistentes acham que sabem o que é melhor pras nossas vidas e se sentem meio donas da verdade, quando somos nós os mais indicados pra saber o que nos faz bem. Grande beijo!

Patricia Haddad disse... [Responder comentário]

Saber como e quando dizer "não" é um aprendizado não muito fácil, mas extremamente necessário. Na vida em geral já é complicado. Envolvendo questões profissionais fica mais complicado ainda. Só tem um jeito: tentar e tentar até conseguir. Bjs!

Luci Cardinelli disse... [Responder comentário]

Texto maravilhoso! Tenho certeza que vai ajudar muita gente! A forma de escrever da Jackie é gostosa de ler.
Há pouco tempo comecei a exercitar o não, mas confesso que ainda é um pouco difícil, mas é importante.
Katia, o que vc escreveu no final, me lembrou uma frase que me disseram uma vez: o outro só nos faz aquilo que permitimos. Tenho tentado lembrar sempre dela e não permitir, principalmente que me magoem.
Já estou seguindo a Jackie e dando uma olhada rápida percebi que tem muita coisa boa para ler lá. Houve uma época na minh avida que meu blog pessoal teve o nome de Fênix, pois era como eu me sentia.
Obrigada pelo post!
Parabéns a vc e a Jackie!
beijos e um ótimo dia para as duas.

vou RT esse post diversas vezes hoje, pois é muito importante

An@ disse... [Responder comentário]

Olá

Gostei muito do texto e é bem verdade. Quantas e quantas vezes já me aconteceu não conseguir dizer não.
Fui conhecer o blog e gostei muito também

Beijos
Ana

Eliane M. disse... [Responder comentário]

Katia, parabens pela escolha, excelente texto.
Eu sempre tive dificuldde em dizer não, pricipalmente no trabalho, todos os projetos novos eu ia assumindo para não negar e o resultado disso foi um mega estresse.
Hj ando pesando elhor as coisas e já entedo que o fato de dizer um "NÃO" não definirá minha pessoa de forma negativa.
Bjs querida, e obrigada pelas respostas sobre os acessórios de festa.

Alethéa disse... [Responder comentário]

Adorei e concordo com tudinho; tudo depende de nós.

Abraço.

c r i s disse... [Responder comentário]

Kátia, que texto maravilhoso!! Também faço parte desse time, apesar de estar aprendendo, dizer não é sempre complicado...mas chego lá!! Conscientemente sabemos de tudo isso e às vezes precisamos de um texto, um clique que faça cair a ficha do inconsciente também ou o contrário...sempre bom estes cliques prá lembrar!! Bjo grande e bom findi!!

Kelly Cristina disse... [Responder comentário]

Ameeeiiii o texto...bom fim de semana...bjokas querida!!!!

GISA disse... [Responder comentário]

OI!! Nossa, lendo o texto..serviu perfeitamente para mim...
Já faz tempo que tb tento dizer não, mas é complicado...não sei porque tem pessoas que tem uma força sobre a gente, percebendo isso quero mais ainda dizer não quando for preciso..
aiaiai, vou voltar aqui e ler mais vezes o texto até decorar srsrsr
Amei o post, as palavras muito bem colocadas.... a gente sempre quer mais..
parabéns a dona do texto, Jakie..amei
e vc Katia bjs mil...
bjs bom final de semana..

Marcelle disse... [Responder comentário]

Nossa, como me identifiquei com o texto. De fato é uma maravilhosa reflexão que farei a partir desse momento! bjão!!! Marcelle

Lidiane Vasconcelos disse... [Responder comentário]

Texto ótimo!
Parabéns a autora. Além do mais, vai na veia, ajuda a gente a refletir. Também já me por diversas vezes temerosa por dizer não. Acredito que estou no meio do caminho ainda. Dizer não, de cara, mesmo quando é o que quero falar, ainda me custa um bocado. Mas também não digo sim. Hoje me dia consigo dizer ao menos que vou pensar. E penso, racionalizo a situação para ter certeza de que o melhor é negar, e então nego quando é preciso. Mas eu preciso ir além, preciso ter forças e coragem de negar na hora que quero negar e pronto! Sem culpas. Tenho certeza que vou chegar lá, preciso disso. É mais um passou que vou dar em direção a minha maturidade emocional. Assim, espero. :D

Telma Maciel disse... [Responder comentário]

ótimo texto, Kátia! Qndo eu era mais nova fiz um monte de besteiras por não conseguir dizer não. Tenho a impressão de que é a mesma coisa de ficar pedindo desculpas a todo momento. É uma desvalorização. O pedido de desculpa deve ser feito qndo realmente é necessário, senão vira uma coisa da boca pra fora, costume.
O 'não' deve ser dito qndo vai contra o que pensamos ou sentimos msm. Às vezes ainda caio no 'sim' qndo quero dizer 'não' só pra não perder a 'bondade'. Mas aí vira abuso! rs
Um beijo!!

Karine disse... [Responder comentário]

Texto cheio de verdade.. e é assim mesmo... ficamos com medo de dizer não, de ferir a pessoa e quem é o maior prejudicado somos nós..
É um aprendizado lento, mas que no final vai nos fazer mais felizes..
Aquela primeira parte "que essa palavra mais do que uma recusa soa como ofensa".. faz todo sentido.. Eu já pensei muito assim, mas não é ofença, é outra opinião...

bjos Kátia e parabéns por mais uma convidada especial :)

Maria Célia disse... [Responder comentário]

Bom dia, Kátia
A carapuça serviu direitinho na minha cabeça. Como tenho dificuldade em dizer não. Já melhorei bastante, mais ainda preciso aprender mais.
Belo texto e muito oportuno.
Beijos.
Maria Célia-mundodecissa.blogspot.com

Milena disse... [Responder comentário]

Katia,o texto,pelo jeito,vai ajudar mais pessoas.
O mais legal disso tudo é ver o resultado,se sentir liberto do mal estar que causa não ser você mesmo e fazer coisas que te violentem.
Eu fico muito feliz em saber que deu um enorme passo.E que outras pessoas estão caminhando para isso também.
Bj

Karla G. F. disse... [Responder comentário]

Oi Bonfa, que saudade! Apesar de nao ter comentado nos ultimos tempo, tava lendo seu blogo como sempre, votei no ultimo concurso. Só to passando por uma fase de falta de disciplina :P
AMEI o texto! Apesar de eu ter aprendido muito a dizer nao na Alemanha, ainda nao to fera no assunto. To passando por uma situacao na qual me arrependo amargamente de nao ter dito antes há meses atrás. Mas é errando que se aprende!

Beijos

Jurubeba disse... [Responder comentário]

Eu conheço a Jackie tem alguns meses, e adoro bastante o blog dela e os os textos que ela publica.
É um melhor que o outro, e concordo com você Katia, tem horas que leio e penso que ela escreveu diretamente para mim.

Esse em especial não, pois alguns coisas que aconteceram na minha vida me ensinaram a equilibrar a freqüência com que dizia os "sim" e "não" e "talvez".
Não penso tanto se o meu "não" passará uma mensagem errada ou o que as pessoas pensarão de mim, o que importa é a minha paz de espírito e isso não troco por nada.

Fico imensamente feliz de você ter conhecido a Jackie através do meu blog! ;)

Beijos

Marias disse... [Responder comentário]

Um belo texto mesmo. Parabéns pela entrevistada. Ela me fez pensar em como estou com os meus "nãos" e posso dizer que preciso muito aprender a dizê-los. Bjus.

Larissa disse... [Responder comentário]

texto muito bom, alerta mesmo para os que não sabem dizer não.
eu nunca tive problemas em dizer não, até acho que às vezes falo demais, que poderia dizer sim um pouco mais.
mas sou feliz assim, não me sinto invadida, nem faço coisas que não gostaria de fazer. gosto de agradar aos outros, mas só se isso tb me agradar.
beijocas

Letícia disse... [Responder comentário]

Depois de muito tempo dizendo sim, por gratidão a uma pessoa, mas com a enorme vontade de dizer não, resolvi dar um basta e a única forma foi praticamente terminando a amizade.

Estou agora numa situação complicada, porque meu marido não compreende a atitude tão radical, mas só eu sei o quanto essa situação me incomodava e me deixava insatisfeita comigo mesma.

Cheguei a sonhar várias e várias noites com a pessoa e em como explicaria todos os "nãos" que eu queria dizer.

Mas agora estou em paz e dormindo tranquila.

Simone Scharamm disse... [Responder comentário]

Oi, Katinha,
tenho uma dificuldade enorme de dizer não. E quando digo, me sinto culpada,rs!
Mas, sei que isso não me traz benefício algum. O texto é ótimo para refletir!
Adorei o alerta!
beijos!!!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

Letícia, cheguei a sentir um calafrio lendo seu comentário!!!!! O que aconteceu comigo foi idêntico, sem tirar nem pôr... Senti tudo o que você relatou! Acho que algumas vezes a gente acaba incorporando um personagem e depois de um tempo, fica difícil se livrar dele... Aí a gente deixa de existir e, principalmente, deixa de se gostar porque não se reconhece mais. Bjs e obrigada a todos pelos comentários!

Crisminiaturas disse... [Responder comentário]

Um beijo pra Jackie que captou a essência do problema...

Letícia e Katia, passei essa mesma situação, e ainda está complicada a situação e a amizade quase se foi também, como no caso da letícia, nem marido nem os outros amigos me entendem, acabei ficando como "egoísta", não está sendo fácil, mas sempre é tempo e vale muito á pena!

Kátia fiz até um review no meu blog: http://crisminiaturas.blogspot.com/2010/10/voce-sabe-dizer-nao.html

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

Oi, Cristina!!!! Obrigada pela divulgação espontânea! Sou como você: seguro muito as coisas que me incomodam, elas vão se acumulando e um dia eu solto tudo de uma vez só, de maneira meio turbulenta e desenfreada! Nesses últimos dois anos guardei muuuuuuita coisa e esse processo cumulativo é o pior. Lembrei daquele velho ditado: "água mole em pedra dura tanto bate até que fura." Demora, mas acontece, e aí não tem mais volta! Grande beijo e tomara que a gente aprenda a dizer "não" de uma maneira segura e assertiva em breve!!!!

Paty disse... [Responder comentário]

Texto aprovadíssimo!!!
Eu sou totalmente a favor em se respeitar, fui criada pelo meu pai e ele sempre me ensinou a me respeitar, porém sempre respeitando o limite dos outros.
E desde pequena sempre soube dizer não, nunca fiz alguma coisa que não estava afim, mas já magoei algumas pessoas com essa minha firmeza naquilo que quero.
Hoje sou mais ponderada e aprendi a seder quando é necessário, mas sempre com muito respeito a minha pessoa em primeiro lugar.
Acredito que quando nos impomos de forma racional, as pessoas tendem a nos respeitar e a nos admirar mais.
Beijinhos da Paty

célia maria disse... [Responder comentário]

oi,katia Bomfadini a mensagem do texto me fez pensar e refletir que em momentos da minha vida disse muintos sim quando queria dizer não. mas como voce disse é tempo de fazer valer o que realmente queremos. beijos.

Assim Caminha Humanidade-por Cris Maringolo disse... [Responder comentário]

GENTEEEEEEEEEE!!!!rsrsrs...
é a mais pura é límpida verdade!
a partir de hoje,com certeza saberei dizer"não"!
sempre é tempo de aprender,é verdade,para não machucar a outra pessoa,acabamos por machucar nos a nós mesmo!
esse texto,AJUDOU ME,e muito!!!
OBRIGADA KÁTIA.

Néia (Dulci) disse... [Responder comentário]

Com o tempo a gente aprende que aos selecionarmos melhor as pessoas com as quais nos relacionamos, os nãos a serem ditos vão diminuindo gradativamente. Falei um pouco sobre essa necessária seleção num post, desculpe a ousadia mas vou deixar o link, quem sabe outras pessoas aproveitem a dica.
http://eternosim.blogspot.com/2010/08/eu-presto-muita-atencao-ao-meu-redor.html

Silvia Azevedo disse... [Responder comentário]

Kátia, dizer não quando necessário é um ótimo exercício! Tenho tentado praticá-lo já há alguns anos e com benefícios para minha saúde e bem estar. Seja firme e diga NÃO! :)

Shirley Guimarães de Mello disse... [Responder comentário]

"Quando nos colocamos com sinceridade, dizendo o que sentimos, somos respeitados.” Infelizmente isso não é totalmente verdade. As vezes a gente diz e mesmo assim o outro nos esculacha. Então, amigos, a solução é deletar o outro. Aprendi isso a duras penas. Ficava tentando apaziguar pra não perder as pessoas e vi que na verdade o saudável era perdê-las pq não eram boas pra mim. Se não me aceitam, se me criticam, se me julgam, sigam seus caminhos. tem gente que gosta de mim como sou. Levei 40 anos pra aprender isso e de uns tempos pra cá vem fazendo toda a diferença.

Silvia Azevedo disse... [Responder comentário]

Oi, de novo, Kátia!
Passei para dizer que indiquei este post à uma amiga e ela postou no Twitter:
http://www.twitter.com/shi2009
Legal, né? ;)

Ateliete® disse... [Responder comentário]

Jackie Freitas perfeita com as palavras. Bonfa entendi perfeitamente qdo vc disse que parece que ela escreveu para vc... Eu tb acho que ela escreveu pra mim - rs
Sabe tudo que vc escreveu no final do texto?
"Já aconteceu comigo e, estando totalmente de acordo com o texto da Jackie, não pretendo fugir da responsabilidade de ter permitido a invasão gradativa porque fui eu que concedi esse espaço, fui eu que não soube impôr limites nem respeitar minha intuição. Com isso, me afastei de mim mesma e do que acredito que seja o melhor para a minha paz de espírito."
Parecia até eu mesmo falando.
Obrigada por postar e nos permitir conhecer a jackie, pois quem sabe nunca esbarraria com ela nessa blogosfera.
Excelente final de semana
Se cuida tá?
Beijocas
Eliete

KaKá Miranda disse... [Responder comentário]

Perfeito o texto,
Katia conheci seu blog esses dias e adorei, suas ilustrações seus caprichos são lindos, está de parabéns.
Gostarei de saber se eu posso pegar sua bonequinha que está com o cãozinho e colocar ela loira no meu blog, achei ela linda e gostaria de te pedir pra eu usar.

Meu blog é www.momentodakaka.blogspot.com

bjs
desde já
obg

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

Shirley, amei sua frase: "Tem gente que gosta de mim como sou". Você está certíssima!!!! Amigos verdadeiros não tentam nos moldar, não tentam fazer com que sejamos quem eles acham que devemos ser, não tentam nos afastar de uns e nos aproximar de outros. Eles simplesmente respeitam nossa natureza. Amigos de verdade gostam da gente "apesar de" e não "por causa de", como comentei no blog recentemente. Acho que você está certíssima! Mil beijos!

Janete disse... [Responder comentário]

Adorei o texto!!! Mas devo confessar que também tenho essa dificuldade...e realmente isso já me prejudicou muito!!! Bjos Kátia e pra Jackie tbm!!!

Veronica Kraemer disse... [Responder comentário]

Ká, comigo aconteceu e muitas vezes acontece a mesma coisa, e este texto caído do céu me fez ver que não estou sozinha, que NÃO SOU MÁ !!!!rsrsrsrsrsrs
Nestes 2 útimos anos fiz uma limpeza em minha vida, mas ainda assim sinto que muitas vezes falo sim não querendo falar. Mas a gente aprende , né?
Adorei o texto e suas considerações, obrigada SEMPRE, Ká!!!
Beijossssssssss e um lindo final de semana pra ti
Vero

Jackie Freitas disse... [Responder comentário]

Olá Kátia querida!
Em primeiro lugar gostaria de agradecê-la pela honra de ter meu texto reproduzido aqui nesse seu maravilhoso blog! Muito honrada também por poder ter contato com seus amigos e leitores. Obrigada a todos que me visitaram e pelos comentários aqui deixados. Acho que essa troca de experiências é que nos enriquece e acrescenta elementos para o nosso crescimento. De algum modo, quando compartilhamos sentimentos percebemos que somos "normais", com problemas solúveis e que, por mais que pensemos o contrário, estamos todos passando por situações semelhantes. Acredito, minha querida, que o que diferencia uns dos outros é a vontade e disposição para mudar. Muitos aceitam e se conformam com as imposições da vida e não lutam, não questionam, não protestam...dizem "sim" para tudo e para todos, mesmo que isso represente um desconforto perante a própria vida.
Somos pessoas valentes! Nascemos com o espírito de luta! Quanto mais acreditarmos que podemos e não apenas queremos, conseguiremos superar vários obstáculos. Na minha história de vida, Fênix não veio por acaso...precisei me superar dia após dia, vencer a mim mais do que aos outros para descobrir que tudo posso quando me determino a mudar o que não está bom na minha vida.
É isso, minha querida! Muito obrigada novamente e espero ter contribuído de alguma forma para o despertar das pessoas!
Grande beijo,
Jackie

Liège disse... [Responder comentário]

Bonfa, gostei bastante do texto!
Geralmente, associamos o "não" a uma coisa ruim, negativa, porém ele tem um grande poder de educar e impor os limites.
Já tive muita dificuldade em dizer "não", por educação ou vontade incondicional de ajudar, mas percebi que não faz nada bem dizer sempre "sim" e depois sofrer as consequências de desrespeitar nosso tempo, nossos limites e possibilidades. Quando é algo urgente e nobre, pode valer a pena. Mas em outros casos acabamos ficando à mercê de insistências constantes e aproveitamentos.
Mas a cada dia aprendemos algo novo.
Beijos.

O que elas estao lendo!? disse... [Responder comentário]

Katia, tudo bem?

Passando para te avisar que você já está no aaaaaaaaaaaaaaaar!!!

Obrigada pela entrevista.

Um abracao da equipe do:

O que elas estao lendo

Lívia Fabi disse... [Responder comentário]

Texto maravilhoso, Bonfa!
Obrigada por dividí-lo conosco!

Eu já fui mais permissiva, hoje consigo, sem me sentir culpada, estabelecer meus limites!

E isso é realmente uma delícia!

Boa sorte prá vc com o Não!!! rs

Bjinhos e bom fds!!!

Camila Monteiro disse... [Responder comentário]

Olá Kátia, muito prazer em conhecê-la. Vi uma matéria sobre você no blog O que elas estão lendo, que adoro muito e pela descrição que elas fizeram já me tornei uma fã sua!
Vim aqui te conhecer e adorei o blog também a matéria que li já me chamou muito a atenção porque falar NÃO é uma coisa tão difícil pra mim, nossa!!! Mas lendo todas essas palavras consegui ter outra perspectiva.
Adorei teu blog mesmo, to te seguindo e seria uma felicidade ter você no meu também!

www.vidacomplicadademais.blogspot.com
Espero você por lá e estarei sempre por aqui agora!!!!

Beijos

Chocolate com Pimenta disse... [Responder comentário]

Realmente, dizer "NÃO" é uma tarefa um pouco complicada.
De uns tempos pra cá, decidi priorizar o que realmente é importante na minha vida. Desde então o "NÃO" passou a ser uma constante, usado sem culpas e de maneira coerente.
Sem me sentir egoísta, ou menos "prestativa".

Confesso que é um exercício diário, mais vale muito a pena, é libertador.

Adorei o post..

Tenha um fim de semana Iluminado !!

Beeeijos,

Gabi ;)

Marta disse... [Responder comentário]

Katita, dizer não algumas vez é difícil, mas necessário. Precisamos saber dizer até mesmo para conseuirmos viver melhor. Dizer não para uma pessoa abusada, mesmo que seja amigo ou da família. Dizer não para alguém do trabalho. Alguns "nãos" têm um retorno bom, outros podem ter consequências piores. Mas o importante é tentar trabalhar esse lado.
Eu não tenho problema em dizer não. Acho que já tive mais, mas convivendo com algumas pessoas, digo não sem problemas. Certa de que foi a melhor coisa a ser dita!
Beijocas e bom final de semana!

Marly disse... [Responder comentário]

Ótimo texto! Dizer não é especialmente difícil para nós mulheres, que temos a tendência de achar que dizer não é ser insensível e egoísta, não é verdade?

Um beijo!

Tati Pastorello disse... [Responder comentário]

Bonfa, adorei sua convidada. Só hoje estou tendo tempo de visitar os amigos e resolvi colocar a leitura do Casos e Coisas em dia. Adoro este espaço. Este texto está incrível e ao sair daqui irei conhecer a Jackie. Eu já tive mais dificuldade em dizer não, ainda há pessoas em minha vida que são mais difíceis do que outras, mas vamos aprendendo. Textos como este nos fazem refletir, ajudam a mudar a perspectiva. Adorei!
Beijos.

Cris de Sales Lobato disse... [Responder comentário]

Texto muito legal da Jackei! Bem objetivo! Sem dúvida é muito importante conhecer nossos limites. Já fui muito tolerante e sofri com isso. Então, a gente aprende! Uma coisa interessante que a Bonfa falou: é preciso aprender a confiar na nossa intuição. Em geral ela nos mostra claramente nossos limites e o caminho a seguir e vem como uma primeira "idéia", depois é que nos atrapalhamos com o nosso "racional" e ficamos preocupados com o que pensarão de nós se dissermos não, sentimos culpa, medo de nos arrependermos... É um grande desafio que temos que vencer, para nos tornamos pessoas mais seguras e sermos verdadeiros conosco e com aqueles que amamos. Um detalhe que aprendi é quando dizemos não, e não precisamos ficar prolongando o assunto, tentando justificar...e fazer o outro aceitar de pronto a nossa recusa e o nosso ponto de vista. É um ddesgaste à toa...pois no fundo o outro sabe...ou com o tempo perceberá. Beijos Bonfa e obrigada pelo post.

Cacau Gonçalves disse... [Responder comentário]

Há muitos anos percebi que, não sempre e não para todos, mas em algumas situações eu simplesmente não conseguia dizer um sonoro NÃO. Foi um longo aprendizado...

beijosss

gi disse... [Responder comentário]

EXCELENTE COMENTÁRIO...........DE MUITA VALIA PARA MIM.........BJOS.

Related Posts with Thumbnails