segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Uma breve incursão na alta gastronomia – parte 1: Roberta Sudbrack

O título desse post foi sugestão do Marcelo, que só lê o blog quando o assunto é gastronomia ou viagens, rsrsrsrs. Eu havia pensado em usar o termo “extravagâncias gastronômicas”, assim como fez minha amiga Claudia Ramalho há pouco tempo em um post sobre sua experiência no L´Atelier Jöel Robuchon, em Paris.

Vou copiar aqui um trecho que adorei:

“Extravagância é aquilo que foge ao comum, uma estroinice, um pequeno excesso para nos lembrar que a vida é bela, que estamos felizes e gratos por estarmos vivos. Se virar rotina, perderá a graça, pois o ser humano é capaz de se acostumar com o luxo a ponto de não mais o valorizar. É o que os entendidos costumam chamar de capacidade hedônica.”

Claudia Ramalho

Foi com essa mentalidade que eu e Marcelo nos entregamos aos prazeres da boa mesa em nossa primeira incursão na alta gastronomia. Gostamos muito de conhecer novos restaurantes quando viajamos, por exemplo. Sempre pesquisamos sobre eles antes do passeio e selecionamos os que parecem possuir uma boa relação custo/benefício, mas nunca havíamos experimentado pratos de Chefs famosos e estrelados. Achávamos que essa experiência não cabia no nosso bolso e, sinceramente, nem procurávamos saber os preços, já imaginando que não seria viável.

De certa forma, foi a Adriane Pinhate (obrigada, querida!!!!) que nos estimulou a sairmos da nossa zona de conforto (e gastos) para experimentarmos os sabores provenientes de uma das cozinhas mais elogiadas do Rio de Janeiro: a do restaurante ROBERTA SUDBRACK, comandado pela Chef gaúcha de mesmo nome que tem em seu currículo o comando de uma das mais importantes cozinhas do país, a do Palácio da Alvorada, na época do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Pesquisando para esse post, encontrei AQUI uma entrevista bastante interessante com a criativa Chef formada em Veterinária, através da qual descobri que “desde 2005 ela escolhe para ser o astro de sua cozinha legumes e verduras menosprezadas na maioria dos menus, como por exemplo, quiabo, abóbora, maxixe e chuchu.”*

*Fonte: http://www.revistasaboresdosul.com.br/conversa-de-chef/ver.php?id=8=Roberta_Sudbrack

Bom, gente, assim como a Roberta descobriu que veio ao mundo para cozinhar após ter cursado Veterinária, eu descobri que vim ao mundo para criar, após ter cursado Letras. Deve ser por isso que reparo em todos os detalhes à minha volta, principalmente nos que tem a ver com minha formação em design gráfico.

A personalização ou customização de objetos em um restaurante ou em qualquer outro ramo de atuação, confere credibilidade ao empreendimento, além de demonstrar o cuidado e a atenção aos detalhes, priorizando a qualidade do que será servido e/ou apresentado, deixando sua marca registrada. E isso era tudo o que eu esperava em um restaurante que tem sua qualidade certificada por críticos gastronômicos renomados.

Os porta-guardanapos são impressos em papel encorpado com acabamento em verniz fosco e mostram a Logomarca do restaurante, construída a partir da letra inicial do nome da Chef (R) de forma estilizada, em conjunto com o desenho de um par de talheres.

O pote de manteiga também possui uma capinha de papel vegetal com a Logomarca impressa. Eu achei isso tão fofo!!!!

Os pãezinhos que pareciam uma mistura de pão de queijo com massa de profiteroles eram tão levinhos que desmanchavam na boca e estavam deliciosos. Reparem na base onde foram servidos: um pedaço de granito com acabamento rústico. Muito interessante…

A Chef oferece algumas surpresinhas aos clientes, como nos explicou o maître e, entre elas, estava esse amuse bouche feito a base de fécula de mandioca temperada que veio em uma panelinha de alumínio semelhante a uma marmita. Adoro observar a maneira como as comidinhas são servidas em festas ou restaurantes…isso me enche de ideias!!!!

No cardápio, havia algumas sugestões de combinações para um menu degustação com 9 pratos + queijo ou 5 pratos + queijo. Eu e Marcelo optamos pelo Menu Bistronômico, composto de entrada, prato principal e sobremesa.

A entrada escolhida pelo Marcelo foi o consommé de galinha caipira com batata, bottarga e raízes, mas ele não se animou muito com o prato e preferiu não comentar.

Já meu pargo em vinagrete de lentilhas, brotos e ervas estava S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L!!!!! Eu nem sou tão fã de peixe branco, mas experimentei uma sensação diferente de todas as outras vezes em que comi peixe: o pargo derretia na boca e estava temperado na medida certa. A minha impressão foi a de que o peixe estava super fresco, cozido à perfeição e de que a Chef soube explorar com maestria todo o potencial desse ingrediente. Era isso que eu ouvia os Chefs Ingleses Gordon Ramsey e Jamie Oliver falarem em seus programas de televisão, mas nunca imaginei que eu entenderia exatamente e de forma concreta esse conceito ao experimentar o pargo. Palmas para a Roberta Sudbrack, muitas palmas!!!!

Nosso prato principal foi o capote assado em “alta e baixa temperatura” com angu cremoso de Amarantina, MG. Eu não fazia a menor noção do que era “capote”, o que foi traduzido pelo Bruno (Chef de cozinha formado pelo Instituto Per La Cuccina Alimentare, na Itália, e proprietário da RAPPEL, em Brasília) como galinha d'angola.

Eu sou daquelas pessoas super frescas que só podem comer filé de frango porque chego a ficar arrepiada quando acho algum resquício de veia, cartilagem, gordurinha ou pele escura na carne. Acabo deixando quase o pedaço inteiro de frango e me sinto mal por causa do desperdício. Porém, nesse caso, eu comi tudinho até chegar ao osso… nem acreditei!!!! A galinha d´angola estava tão macia e suculenta que desgrudava do osso com a maior facilidade. Meu veredito foi o mesmo do pargo: uso do ingrediente da melhor maneira possível, acentuando suas características inerentes, sem o uso abusivo de temperos e molhos que poderiam disfarçar seu sabor original. Palmas, palmas e mais palmas para a Roberta!!!!

Nossa sobremesa foi uma unanimidade: a compota de cereja, pele de leite e farinha de rapadura arrancou suspiros de todos que a provaram. A farinha de rapadura acrescentou uma textura crocante e exótica ao prato e realçou o sabor das cerejas, combinadas harmoniosamente com a pele de leite.

Para finalizar nossa “extravagância gastronômica” ou “primeira incursão na alta gastronomia”, alguns pediram café e o garçom trouxe dois pratos altos de metal para a mesa, cheios de guloseimas açucaradas. Tinha doce de fruta, mini-tartelete de morango, chocolate, marrom glacê, biscoitinhos amanteigados cobertos com pó de chocolate amargo etc.

Foi um Grand Finale para uma noite super especial, na qual tivemos a oportunidade de conhecer o trabalho autoral de uma talentosa Chef brasileira; expandindo assim nossos horizontes gastronômicos; de conhecer amigos virtuais com quem tivemos sintonia imediata (fomos os últimos a deixar o restaurante de tanto que conversamos!!!!) e de documentar a experiência inesquecível por meio dessas imagens.

Se voltaríamos várias vezes? A resposta é fácil: se ganhássemos mais, com certeza!!!! Mas como nossa realidade é outra, talvez somente em algumas ocasiões especiais. O certo é que a experiência valeu muito à pena!!!!

Um grande beijo pra todos com votos de uma semana apetitosa!!!!

Bonfa ass

23 comentários:

Bolotica da Mamis disse... [Responder comentário]

Ameeeei,

depois mande o endereço do restaurante ... eu fiquei curiosa quanto o valor ( desculpe a indiscrição e deselegância .. rs ),
Post fabuloso como sempre !!!

Bjs ;)

Marcela Reinaldo disse... [Responder comentário]

Muito engraçado a diferença de cultura, você não saber o que é capote...aqui no Piauí é comida típica, só que feita de outras formas. Na verdade é um dos meus pratos preferidos, quer dizer ele misturado com arroz!

Ah e curiosidade qunto custa um jantar desse???

bjos
http://estilodavez.blogspot.com/2011/11/look-do-dia-jantarzinho-em-familia.html

Karla Coutinho disse... [Responder comentário]

Menina !!!!!
Que post maravilhoso...e quantas coisas gostosas.
Os detalhes do restaurante são incríveis e fazem toda diferença.
Amei tudo...
Parabéns por mais uma conquista.
Antes o Claude e agora a Roberta...daqui a pouco, quem será ?
Beijinhosssssssssssssss.

Joaninha Bacana disse... [Responder comentário]

Fiquei babando em olhar os pratos - delííícia :-D
Nao sabia que a Roberta é gaúcha!
Adorei a logomarca do restaurante!
Beijocas, e boa semana pra vocês,
Angie

Flávia Mergulhão disse... [Responder comentário]

"Gente coisa é outra fina!" rsrsrs
Concordo com a frase da Claudinha. Extravagância é para "vez em quando"! Mas eu prefiro fazer minhas extravagâncias em viagens, principalmente mergulhos em lugares diferentes!
Sabe, tenho uma amiga que formou um grupo de amigas e uma vez por mês se reúnem para apreciar os melhores restaurantes do Rio.#ficaadica!
Quero saber mesmo como foi o encontro com Ms Claudinha! Curti muito os comentários dela no Facebook!
Um beijo "Bonfonilda" e uma semana muito criativa e com bastante inspiração para vc!

Liliane disse... [Responder comentário]

Adorei o post, assim podemos conhecer nem que seja um pouquinho, da tão famosa chef Roberta Sudbrack, e do seu restaurante.
Boa semana.

Cozinha da Monica disse... [Responder comentário]

Kátia querida! Sensacional o post! Experiência gastronômica muito rica essa heim.
E essa sobremesa de compota de cerejas com pele de leite e farinha de rapadura. Deve ser divina!
Menina! Também sou como vc, não posso encontrar uma veinha, carne escura, etc no meio do frango que tenho vontade de sair correndo. rsss.
bj.

Milena disse... [Responder comentário]

Que delícia de noite!É bom de vez em quando nos mimarmos com o que gostamos!

bj

Sarah disse... [Responder comentário]

Oi Kátia!

Cadê o post sobre a viagem para Maceió?
Estamos todas aguardando, tenho certeza! rsrs

Vou para Curitiba no final de semana, você ficou em hotel quando foi? Preciso de algumas dicas em relação à estadia.
Beijão!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

Oi, Sarah!!!!!!!! Vou ver se faço o post sobre Maceió no final de semana, a viagem foi muito legal, apesar da chuva... as fotos não ficaram lindas, mas a cidade é belíssima e ficamos encantados!

Sobre os preços do restaurante, pessoal, varia muito dependendo do menu escolhido (3 ou 4 opções). Pedimos a mais em conta e acho que foi algo em torno de 150 reais por pessoa com entrada, prato principal e sobremesa, sem contar os pãezinhos de entrada e o mandiopã. Não inclui bebida. Às terças-feiras existe uma opção econômica oferecida pela Chef, sem possibilidade de escolha. É um menu fechado.

Um beijão e bon appétit!

Karen, viagens e outras coisitas más ... disse... [Responder comentário]

Meu esposo sempre fala que quando formos novamente ao Rio não podemos deixar de ir no RS.
Também já tinha visto a descrição do menu no Destemperados, mas vendo a sua forma detalhada de escrever fiquei ainda com mais vontade de conhecer o restaurante.
Beijos e boa semana.

Lu Tavares disse... [Responder comentário]

Nossa Katia, voltei de viagem e falei com o Mauro ontem: a gente viaja e vai a lugares maneiros, come super bem e se permite gastar mais. Vamos passar a ir a um restaurante maneiro, uma vez por mês?!?!?
Ele topou!!! Já fui no restaurante da Roberta e adorei tb!
Vou mandar o post pra ele ler rsrs
beijos!!!
Lu

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

, me identifiquei muito com o seu comentário! Uma vez eu disse o mesmo pro Marcelo: a gente vai à Europa, gasta em euros e às vezes os restaurantes não tem a mesma qualidade desses que a gente acha caros por aqui. Vamos experimentar? Gostamos muito, Lu, e o post da quarta é sobre o Olympe, do troisgros!!!!!!!!!!!!

Um grande beijo!

Artesanato feito a mão disse... [Responder comentário]

nossa flor adorei...e estou super anciosa...vou começar a fazer gastronomia aqui na minha cidade no ano que vem...pena q a faculdade é muito cara...vou ter que fazer tripas ♥ para pagar 1.700,00 ++++ é um grande sonho que vou realizar...e vendo o seu blog fica cada dia que passa mais encantada pela gastronomia...bjoooo qdo puder me visite tbm...vou adorar receber sua visitinha....

Ideia² disse... [Responder comentário]

O tal esperado post, rsrs
Adorei conhecer um pouco do restaurante q é um sonho pra mim. Um sonho em que terá de ser adiado,posi não sou financeiramente abastecida para realiza - lo.
Beijos Bonfa!
@WelenMedeiros

Casar é assim... disse... [Responder comentário]

Oi Bonfa!
Que detalhe lindo esse da logomarca sobre a manteiga, né?
Bom...nunca tinha ouvido falar nesse peixinho..! E como vc disse que até desmanchava na boca, devia estar ótimo mesmo..=)
Mas, como sempre, eu fico babando mesmo nas sobremesas e nesse gran finale...!!...

Quando vier pra São Paulo novamente vá jantar (ou almoçar) no Ruella Bistrô. Fica em uma ruellinha mesmo, o restaurante é a coisinha mais fofa e os pratos são muito bons (não deixe de pegar a sobremesa!!)!!

Não sei quanto pra vcs é alta gastronomia..rs....mas pra mim o Ruella foi..rs!! Mas valeu muito a pena na comemoracnao dos 5 anos de namoro..=)

beijos!!
Gábi

Sandra Lima disse... [Responder comentário]

Concordo que para nós, pobres mortais, é mesmo uma extravagância, mas deve valer à pena demais!
Eu adoro experimentar novos sabores, o que às vezes é difícil aqui em casa, já que marido é bem avesso à qualquer sabor que fuja da tradicional cozinha mineira. Agora, um restaurante que una o diferente ao angu, é a perfeição!
Beijos

Claudia Liechavicius disse... [Responder comentário]

Ei amiga! Que bela escolha. Roberta e Claude são meus chefs favoritos no Rio. Tudo é perfeito nesses dois restaurantes. Do ovinho ao caviar!!!
Um beijo enorme. Já voltei!!
Claudia

Nathalia disse... [Responder comentário]

Ai Katia, que chiqueeeeeeee!!! Fiquei morrendo de vontade de pegar uma lasquinha desse filé, hehehe

O texto que vou te mandar está escrito desde o dia que você me fez o convite, acredita? E até hoje não te mandei... É que eu nunca acho que as fotos estão boas o suficiente...

Beijo!

Luci Cardinelli disse... [Responder comentário]

Concordo totalmente, de vez enquando temos que fazer algumas extravagâncias :)
Menina, esse capote com angu deve ser delicioso, até suspirei aqui.

beijos e um lindo dia!

Desculpe estar comentando pouco, mas sempre leio os posts, mas o tempo... e prá artesã final de ano é mais corrido ainda, graças a Deus

Feito a Mão disse... [Responder comentário]

Katinha, adorei o post.
É sempre bom nos permitirmos boas experiências.
Se me perguntarem se dinheiro traz felicidade, eu diria: somente se ele nos proporcionar experiências e não acúmulo de bens.
Acho que momentos como este nem precisam ser abundantes para nos deixar boas lembranças. Justamente o fato de serem raros é que os torna especiais.
Obrigada pela citação, é uma honra para mim.
Bj

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

Claudinha, taí mais uma frase sua que adorei: "Se me perguntarem se dinheiro traz felicidade, eu diria: somente se ele nos proporcionar experiências e não acúmulo de bens." Concordo plenamente e sei que não preciso de muito dinheiro pra ser feliz!!!!! Coisas simples também me dão o maior prazer e satisfação!!!!! Pensamos muito parecido... acho que o destino fez com que nos conhecêssemos! E amei nosso encontro! Estou te devendo as fotos!!!! Beijos!

Cucchiaio pieno disse... [Responder comentário]

Oi linda
Que experiência maravilhosa!
Também achei muito fofa a manteiga com a logomarca do restaurante.
Adorei os pratos e as apresentações, mas trocaria tudo pelo prato com as guloseimas açucaradas (salivei)! Sou louca por doces.
Bjos querida
Léia

Related Posts with Thumbnails