quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Um final de semana em Florianópolis-SC: Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim, Fortaleza de Santo Antônio de Ratones e Ilha do Campeche

Fortaleza de Santa Cruz na Ilha de Anhatomirim

Fortaleza de Santo Antônio de Ratones

Ilha do Campeche

Belisquete de praia: deliciosos camarões empanados!

No primeiro dia da nossa segunda visita à bela cidade de Florianópolis em março desse ano, aproveitamos o bom tempo para fazer um passeio de barco e observar algumas ilhas, parando para conhecer duas fortalezas: Anhatomirim e Santo Antônio de Ratones.

Escolhemos a empresa Scuna Sul (roteiro Ilhas Tropicais) e embarcamos às 10:30 hs em um píer quase embaixo da Ponte Hercílio Luz. Acho que vale a pena chegar um pouco antes para curtir a Fortaleza de Santana, que fica ali do lado e tem entrada gratuita.

Depois de uma hora e meia navegando, o barco atracou em uma praia do município de Governador Celso Ramos, para que pudéssemos observar golfinhos, que infelizmente não apareceram nesse dia, e também para almoçarmos. Eu não estava com muita fome, mas o restaurante oferecia um buffet variado por somente 15 reais. Então aproveitei para comer alguns camarões e polenta frita antes de continuarmos o passeio.

Uma hora depois, o barco seguiu para a Ilha de Anhatomirim, onde se faz a visita à Fortaleza de Santa Cruz.

Permanecemos na ilha por volta de uma hora e sempre tenho a impressão de que o tempo voa quando estamos curtindo alguma atração. Eu gosto de ficar perto do guia e aprender sobre a história do lugar, mas também gosto de sair caminhando pelos arredores por conta própria para registrar algumas imagens. Sendo assim, eu normalmente dou prioridade às fotos, confesso, e depois acabo recorrendo ao Google para saber mais sobre os locais que visitei.

Escadaria de acesso e pórtico com inspiração oriental, ladeado por duas cortinas de muralhas

Vista do mar a partir do pórtico de entrada da fortaleza

Essa fortaleza foi considerada a principal fortificação do antigo sistema defensivo da Ilha de Santa Catarina. Em 1938, foi tombada como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, permanecendo abandonada até ser redescoberta e restaurada nas décadas de 70 e 80 pela Universidade Federal de Santa Catarina.

Atualmente, as fortalezas catarinenses, gerenciadas pela Universidade Federal, constituem um dos maiores e mais bem conservados conjuntos de arquitetura militar do Brasil.

Detalhe dos arcos simétricos no interior de uma das principais construções da fortaleza

De dentro para fora: o dia estava lindo e adorei o contraste da grama verdinha com o mar azul

Historicamente, a Fortaleza de Santa Cruz não foi utilizada do ponto de vista bélico nem mesmo durante a invasão espanhola de 1777. Após este episódio, o sistema entrou em descrédito e passou a ser progressivamente abandonada.*

Em 1884, durante a Revolução Federalista, serviu de prisão e base de fuzilamentos de revoltosos contra o governo de Floriano Peixoto. No ano de 1907 passou a pertencer ao Ministério da Marinha, voltou a ser utilizada como prisão em 1932 no desfecho da Revolução Constitucionalista.*

Funcionou como base até o final da Segunda Guerra Mundial quando apareceram novas tecnologias bélicas, tornando-a obsoleta como unidade militar. Foi desativada, mas a Marinha manteve vigilância até a década de 1960.*

Uma das lindas vistas para o mar

No prédio que serviu como alojamento da tropa, a maior das construções da ilha, vimos um enorme esqueleto de baleia.

Depois de conhecer toda a fortaleza e de dar a volta na ilha, voltamos ao barco.

Vimos muitos jet skis passeando pelas ilhas. Como eu não dirijo, teria medo de encarar um passeio desses, mas acho que deve proporcionar uma incrível sensação de liberdade!

Nossa parada seguinte foi a Fortaleza de Santo Antônio de Ratones.

Ela começou a ser construída em 1740, funcionando como um dos vértices do sistema triangular de defesa da Barra Norte da Ilha de Santa Catarina.*

No século XVIII contava com duas baterias de canhões, armadas com 14 peças de artilharia.*

Entre meados do século XIX, até o início do século XX, já em ruínas, algumas construções dessa fortaleza foram utilizadas para a instalação de um abrigo para doentes afetados por moléstias contagiosas.*

Posteriormente, funcionou como depósito de carvão da marinha. Durante a década de 1980, em completo estado de abandono e de ruínas, foi palco de uma grande campanha pública pela sua preservação.*

Pertencente ao Ministério da Marinha e tombada como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional desde 1938, a fortaleza foi restaurada entre os anos de 1990 e 1991, quando também passou a ser gerenciada pela Universidade Federal de Santa Catarina.*

Após visitarmos a fortaleza e algumas exposições de fotos e objetos antigos em seu interior, voltamos ao barco para a última parada do dia.

Navegamos um pouco, vimos outras ilhas e nos encantamos com as águas que variaram entre tons de azul e verde.

Num dado momento, o barco parou e o guia avisou que tínhamos 15 minutos para mergulhar antes de retornarmos ao ponto de partida.

Mais tarde, na hora do jantar, tive a oportunidade de conhecer pessoalmente a Tati Rosa (TUTITATI KIDS), uma pessoa especial com quem compartilho muitas afinidades, entre elas, a profissão de designer. Amei encontrá-la e passei a admirá-la ainda mais!!!! Espero que a gente repita a dose no ano que vem!!!!

Dedicamos o dia seguinte à Ilha do Campeche. Há três opções de transporte até a ilha: via Barra da Lagoa (1:15 h de viagem), via praia do Campeche (rápido e mais caro, via botes) e via praia da Armação (40 min).

O Marcelo preferiu a última opção. O barco saiu de um trapiche na ilha da Campanha, que fica no final da Armação (quase chegando na praia do Matadeiro) e custou 40 reais por pessoa.

As saídas parecem ser regulares pela manhã, ao menos na época em que estivemos lá (março de 2012). O tempo de estadia na ilha é pré-determinado e gira em torno de 4 a 5 horas.

Localizada na costa leste de Florianópolis, a Ilha do Campeche possui um rico ecossistema e abriga representativa parcela do patrimônio arqueológico do Estado de Santa Catarina. Formada por costões e morros recobertos de Mata Atlântica, possui uma única praia com areia fina e extremamente clara.*

Logo que chegamos na ilha, um monitor veio conversar com o grupo para explicar a proposta de preservação do lugar (um importante sítio arqueológico e ecológico), além das opções de lazer como passeios por trilhas e mergulhos.

O mar tem coloração variando entre verde e turquesa e possui pouquíssimas ondas, o que me faz querer permanecer muito tempo na água. No Rio de Janeiro, eu prefiro ficar perto de uma barraca que tenha chuveiro porque tenho medo de entrar no mar, que considero sempre agitado.

Os barcos que chegam à ilha atracam na Praia da Enseada. Com cerca de 500 metros, esse é o único lugar onde os visitantes podem ficar. Para conhecer os costões, os sítios arqueológicos e os monumentos rochosos é necessário fazer uma das trilhas monitoradas.*

Pequenos seres vivos transparentes que encontramos em abundância nas águas cristalinas da praia

Águas cristalinas

A areia é bem branquinha e macia e achei uma delícia o fato de a praia não estar lotada. Aliás, há um limite de 800 visitantes por dia e ela nunca deve ficar muito cheia, até mesmo pelo valor do transporte até lá.

Há somente dois restaurantes na ilha e ambos têm preços altos, além de um cardápio reduzido. Só é aceito dinheiro vivo e os cartões de crédito são inúteis porque não há energia elétrica. Percebemos que muitos visitantes levam sua própria comida e bebida, o que é interessante e mais econômico também!!!!

Pedi uma porção generosa de camarões empanados e fiquei beliscando o petisco na praia, enquanto o Marcelo foi fazer uma das trilhas monitoradas.

Com mais de 100 petróglifos distribuídos em 10 sítios arqueológicos, a Ilha do Campeche foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no ano de 2000 como Patrimônio Arqueológico e Paisagístico Nacional.*

Para fazer as trilhas é cobrada uma taxa que varia entre 5 e 15 reais, dependendo do roteiro escolhido. Essa verba é destinada ao pagamento da equipe de visitação e à manutenção da ilha.

Segundo o relato do Marcelo:

“Fiz uma trilha guiada que levava ao outro lado da ilha e passava por algumas pinturas rupestres. Custou R$ 10 e levou +- 1 hora. Eu fui mais pelo visual do outro lado, que é sensacional. As pinturas são interessantes, mas não são minha praia. A trilha é considerada nível médio, mas achei bem tranquila – exceto quando você chega nas pedras, quando requer mais cuidado (mas esta parte é opcional). A guia, Dahiana, esbanjava conhecimento. Achei bem legal.”

De acordo com os estudiosos, o local possui sozinho mais inscrições rupestres que a Ilha de Santa Catarina, a Ilha do Arvoredo e a Ilha das Aranhas, todas juntas. Entre os sinais deixados pelos povos antigos estão símbolos geométricos, flechas, zoomorfos, antropomorfos e as máscaras, também encontradas nos costões da praia do Santinho.*

Na hora marcada para o retorno, seguimos em direção ao barco que nos levou à ilha, mas antes demos uma caminhada até o final da praia.

O dia ainda estava claro e muito bonito, mas não tinha jeito: nosso tempo havia esgotado e precisávamos retornar.

À noite, fomos para Santo Antônio de Lisboa, bairro de colonização açoriana, onde conheci um lindo ateliê, que mostrei NESSE POST.

Essa foi nossa segunda visita à Florianópolis, mas decidi mostrá-la primeiro aqui no blog porque fizemos passeios mais curtos. Na primeira vez em que estivemos na cidade, conhecemos muitas outras praias e fortalezas em um esquema meio “city tour”, mas ainda há muito a ser explorado em uma terceira visita. Quando eu estiver mais folgada em termos de tempo, volto a escrever sobre nossa primeira estadia nessa cidade linda!!!!

Um grande beijo com votos de uma ótima semana!!!!

Fontes:
http://www.mochileiros.com/fim-de-semana-em-florianopolis-t60497.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Fortaleza_de_Santa_Cruz_de_Anhatomirim
http://www.guiafloripa.com.br/turismo/fortes/anhatomirim.php3
http://www.guiadepraias.com.br/ponto.php?id=397
http://riozinho.net/fortaleza-de-santa-cruz-anhatomirim-florianopolis/
http://www.fortalezasmultimidia.com.br/santa_catarina/index.php?data=ratones
http://www.guiafloripa.com.br/turismo/ilhas/icampeche.php3

Bonfa-ass

43 comentários:

Fats Arteira disse... [Responder comentário]

Olha só como o Brasil é lindo!...parece um Paraíso! um encanto!
Foto favorita: O Portal dos Sonhos!
Lindo demais!
Já sei pra onde vou nas férias...rs...
Beijinhos
Fatima

Adriane Pinhate disse... [Responder comentário]

Que vontade de dar um mergulho nessa água cristalina! Descansar e recarregar a energia!

Muito lindo o lugar, transmite uma paz, uma tranquilidade!

Como o Brasil é lindo! E obrigada por mostrar isso para gente!!

:Dri

Amore con Cuore disse... [Responder comentário]

Olá Katia , que lugar mais lindo , Florianopolis é sem duvida um lugar maravilhoso que vale a pena voltar varias vezes.

bjs,

Boa semana

Deborah

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Fats ArteiraOi, Fats! Realmente essa Ilha do Campeche foi uma incrível descoberta! A água é translúcida e a praia não tem ondas, é deliciosa!!!! Boa ideia para as suas próximas férias! Bjs!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Adriane PinhateAdri, a Ilha do Campeche é realmente ótima para descansar e esquecer da vida! É claro que eu aproveitei o momento relaxante pra sacar meu caderninho de inspirações da bolsa e rascunhar algumas ideias porque a minha mente não pára, rsrsrs! Mas foi uma delícia fazer isso em um lugar tão tranquilo, bonito e inspirador! Beijão!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Amore con CuoreDeborah, é verdade! Fomos duas vezes, mas só nos finais de semana. Dá pra passar uma semana em Floripa sem repetir passeios, tem muita coisa para ver e fazer! Adoro esse lugar! Beijos!

Larissa Banister disse... [Responder comentário]

Bonfa, não vejo a hora de ver nossas quentinhas praias brasileiras. Estou chegando em novembro ao nosso amado país e esperando ansiosamente por isso. Beijos

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Larissa BanisterLarissa, que legal, vc vem pro Brasil em novembro, né? O clima deve estar mais quente mesmo, bem propício para a praia!!!! Aproveite bastante! Beijão!

Elisa Barros disse... [Responder comentário]

Vou copiar seu roteiro na cara dura! Certeza que marido, assim como o Marcelo, vai fazer a trilha e eu, assim como você, vou ficar comendo camarão na praia! ADOREI! Faz muito tempo que fui a Florianópolis e estou mesmo precisando voltar. Beijão

Marcela Pontes disse... [Responder comentário]

Nossa que lugar lindo!!!
E fotos mto bem tiradas!
Bjksss

Eu que fiz... ou quase isso disse... [Responder comentário]

Oi Katia, que águas limpinhas, que delicia!! meu sonho é ver a neve, mas meu marido so gosta de roteiros assim com praia, ele não enjoa rsrs!! disse que quando for para neve ele deixa eu ir sozinha rsrs, por isso não fui ainda.
Que seres vivos transparente diferente, pelo menos estes não queimam.


Bjs


Gélia Carvalho

Gabi disse... [Responder comentário]

Só lugar lindo, hein?

Isso mostra que o Brasil é maravilhoso e temos muito o que conhecer aqui ainda!

Beijos
http://juntosnofelizesparasempre.blogspot.com

Paula Henderson disse... [Responder comentário]

Ai Bonfa, suas fotos e viagens são tão inspiradoras... Fico babando aqui na frente do computador rsrs

Lindo demais, parabéns!

Beijos!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Elisa BarrosElisa, pode copiar o roteiro, claaaaro! Eu é que fiquei animadíssima com St Barths depois do seu relato... já até sonhei que viajamos pra lá! Um beijão!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Marcela PontesMuito obrigada pelo elogio, Marcela! Um super beijo!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Eu que fiz... ou quase issoGleia, eu gosto das duas coisas, rsrsrs! Praia e neve! Só não gosto de sentir calor nem de sentir frio, mas com roupas adequadas, isso não acontece! Um beijo enorme!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@GabiOi, Gábi! Nosso país é mesmo lindo! Tenho uma amiga cujo irmão mora em Floripa. Ela já foi pra lá um monte de vezes e nunca esteve na Ilha do Campeche, acredita???? O Brasil é enorme e tem muitos cantinhos a serem explorados! Bjs!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Paula HendersonObrigada, paula!!!!!!!!! Esse passeio foi realmente delicioso e os lugares que conhecemos são belíssimos! Bjs!

Bárbara Puziol disse... [Responder comentário]

Olá Kátia!!!
Que lugar é esse???!!! Que paisagem linda!!!
E essas fotos, que lindass!!!!
Que câmera é essa que vc usa???
Suas fotos são perfeitas... coisa de profissional...
Adoro fotografias, e ainda mais com toda essa qualidade, que parece que através delas, podemos sentir essa energia tão boa de um lugar tão bonito assim...
Parabéns...
Abraços...
Bárbara.

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Bárbara PuziolQue super elogio, Barbara, muito obrigada! Mas as minhas fotos não tem nada de profissional, rsrsrs! Minha máquina é uma SONY H70, comum, amadora mesmo. Eu uso sempre os filtros brilho/contraste/nitidez para ajustar as imagens e acho que o Photoshop é o maior culpado pelo resultado, rsrsrs! Mas, apesar de realçar os tons, pode acreditar que a água da praia é assim mesmo, bem clarinha e translúcida! Não tem Photoshop que faça uma água escura ficar assim, rsrsrs! Um grande beijo!

Vida disse... [Responder comentário]

Bonfa, acabei de chegar por aqui e já virei o seu blog pelo avesso. Tô adorando tudo e vou estar sempre curtindo suas postagens.

bjim

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@VidaQue legal, obrigada pelos elogios!!!!!!!!!!!! Seja muito bem-vinda, a casa é sua!!!! Beijos!!!!

Rose disse... [Responder comentário]

Nossa!!!!!!!!!Que maravilha de post Katia e que fotos mais lindas...so voce com estes olhos magicos pra capturar o mundo desta forma. Que presente pra nos!!
Lindo!!!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@RoseRose, obrigada pelos elogios! A Ilha do Campeche é linda mesmo e é muito tranquila... um ótimo lugar pra relaxar e esquecer da rotina! Um beijão!

Carlinha disse... [Responder comentário]

Que legal Kátia, sabia que não irias perder estes passeios às ilhas, elas são maravilhosas! Achei que naquela vez você não tinha ido, afinal só comentou de Santo Antonio de Lisboa...
Eu fiz este passeio novamente no ano passado.
Volte sempre à minha terrinha!

;]

Casar é assim... disse... [Responder comentário]

Oi!

não consigo mais acessar os blogs..uma correria danada pra entrar em férias daqui 2 semanas e meia!! rsrs....

Essa primeira foto tá de arrasar hein, ganharia prêmios!!

Que água linda nessa Ilha do Campeche...limpinha!! ADorei esse lugar....é pra sentar na praia e ficar admirando mesmo!! =)

Beijos!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@CarlinhaCarlinha, esse passeio é realmente impredível e estamos dispostos a voltar muitas vezes, Floripa é mesmo LINDA!!!! Bjs!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Casar é assim...Ai, Gábi, também estou sumidaça da blogosfera... minhas visitas infelizmente estão super escassas, mas estou te esperando aqui no Rio! Vamos nos conhecer pessoalmente, OBA!!!! Bjs!

Angela disse... [Responder comentário]

Que delícia de viagem!Que azul!
Saudade!
Bj

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@AngelaAngelita, também estou com saudades!!!!! Que difícil o nosso encontro, mas um dia sai!!!!! Beijos!

Isadora disse... [Responder comentário]

lindas fotos! que viagem maravilhosa!

Claudia Holsbach disse... [Responder comentário]

Ainda vou te ver fazer um post com o nome: Um fim de semana em Bonito!!!
Estou te aguardando...

Marta disse... [Responder comentário]

Katita, que lugar lindo!!!! As fotos falam por si só!!! Bjssss

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Claudia HolsbachAmém, Claudia! Um dia a gente faz esse passeio lindo! Um grande beijo!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@IsadoraObrigada, Isadora! Foi realmente um final de semana especial! Um grande beijo!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@MartaMartinha, Floripa é mesmo muito bonita e tem diversas praias! Estou doida pra voltar e explorar outros lugares por lá! Um beijão!

Izis Borck disse... [Responder comentário]

Belas fotos...
Beijocas

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Izis BorckObrigada, Izis!!!! O cenário ajuda muito,rsrsrs! Beijos!

Executiva de Panela disse... [Responder comentário]

Querida Katia, estou em férias desde o início de agosto e minha primeira providência foi viajar para Florianópolis. Passei 10 dias lá e voltei na semana passada. Conheci bastante coisa, mas não fiz os passeios que você mostra neste post. Ver suas imagens foi um complemento para minha viagem. As fotos estão lindíssimas! Aproveitando, tem sorteio no meu blog de uma lembrancinha que trouxe de lá. Ficarei feliz se você tiver interesse me participar. Um grande beijo! Paula p.s.: há projeto de fazer o kit festa de outono com a padronagem do seu caminho de mesa?

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Executiva de PanelaFloripa é mesmo linda e GRANDE!!!! Então dá pra passar bastante tempo sem conhecer tudo! É uma ótima desculpa pra voltar, rsrsrs! Vou passar no seu blog sim, claro que quero participar do sorteio! E pretendo fazer o kit de outono sim, lembro que vc gostou... mas talvez um modelo diferente pro ano que vem, que tal? Pode deixar que te aviso! Um grande beijo!

Maria disse... [Responder comentário]

Katia, querida, você encontra cada recanto mais lindo que o outro. Amei as fotos. Bjus.

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@MariaObrigada, Maria!!!! Na verdade, quem descobre esses paraísos é o Marcelo!!!! E eu vou junto, rsrsrs! Bjs!

Claudio Rosa disse... [Responder comentário]

Olá,

Parabéns pela fotos!! Ficaram todas muito lindas!

Aproveitando a oportunidade, gostaria de indicar para visitas à Ilha de Anhatomirim a Escuna Maresia. Durante a temporada de verão temos saídas diárias da Baia dos Golfinhos, em Governador Celso Ramos.

www.facebook.com/maresia.escuna

Cláudio Rosa
(48)9609-3406

Related Posts with Thumbnails