sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Sempre existem soluções simples para problemas complexos

“Todo final de ano meu pai elabora um texto no qual reflete sobre os 365 dias que se passaram e a influência que os acontecimentos recentes tiveram em sua forma de pensar e ver o mundo. Sou filha coruja assumidíssima, mas a verdade é que meu pai é um dos homens mais inteligentes e cultos que conheço e criou suas três filhas enfatizando a importância dos estudos, da educação e do pensamento crítico. Eu o agradeço muito por isso! Recebemos dos meus pais lições de vida que não tem preço. Sabemos que o que conta mesmo é a forma como agimos na prática, é a maneira como tratamos nossos semelhantes no dia a dia. É assim que revelamos quem somos”.

O texto acima foi copiado de um post que publiquei no início de 2013 com a mensagem de fim de ano do meu pai. Hoje tenho o prazer de recebê-lo novamente nesse cantinho para compartilhar com vocês seus pensamentos para 2014.

Seja bem-vindo mais uma vez, “Beto”!

 

beto2[4]_thumb[2][2]

Caros amigos,

Mais uma vez ao se aproximarem os festejos de natal e ano novo, como faço há dez anos, eu gostaria de compartilhar algumas reflexões a partir de meu aprendizado adquirido em mais esse ano de caminhada.

Continuei nesse ano a buscar leituras que me ampliassem o conhecimento do funcionamento da mente humana, para entender melhor os comportamentos e atitudes de pessoas e organizações.

A partir de um livro de um médico estudioso dos princípios orientais do budismo e da Yoga que minha filha Flávia me presenteou (Buddha´s Brain, de Rick Hansen), pude fazer um interessante link entre o que já tinha aprendido com estudiosos ocidentais sobre os mecanismos de funcionamento do cérebro (Damasio, Ariely, Kahneman) com os milenares conhecimentos orientais sobre o funcionamento do nosso corpo e mente, e seu reflexo no processo decisório de pessoas e organizações.

Gostei tanto dos princípios que comecei a praticar yoga e as técnicas de respiração e meditação com reflexos bastante positivos para minha saúde física e mental. Passei nas outras leituras usar esses princípios de funcionamento da mente humana na interpretação dos textos.

Uma das últimas leituras do ano foi o livro de Cristiane Correia “Sonho Grande”, no qual ela relata a história de sucesso de três empresários brasileiros que fizeram o que parecia impossível para um grupo que se iniciou no mercado financeiro sem nenhum conhecimento específico sobre a indústria cervejeira, ou seja, controlarem a maior empresa do ramo em termos globais, a InBev, uma fusão das antigas Brahma, Antártica, a argentina Quilmes, a belga Interbrew e a americana Anheuser-Busch (Budweiser).

Lendo o conjunto de valores que esse grupo de empresários introduziu em todas as empresas que controlaram, pude destacar alguns que tem muito a ver com o tema da minha reflexão desse ano. A base do modelo de gestão do grupo é gente competente, treinamento, remuneração adequada, controle de custos e simplicidade. Porém, eu creio que o fator diferencial principal foi justamente a simplicidade.  “O simples é sempre melhor do que o complicado”, princípio que já aparece nessa frase do ainda jovem estudante de Harvard Jorge Paulo Lemann, que depois seria o líder desse grupo de empresários, e em outra frase já mais adiante  em sua carreira: “A verdadeira genialidade não é tornar uma ideia complexa, mas o contrário: transformar um mundo complexo em uma ideia bem simples”.

Esse princípio teve nas organizações que comandou um poder multiplicador enorme, moldando outros valores como: “As inovações que criam valor são úteis, mas copiar o que funciona é bem mais prático”. “O bom senso vale mais do que ideias complexas e sofisticadas”. “A principal função dos chefes é escolher pessoas melhores do que eles para a organização”.

Porque um princípio tão óbvio, a simplicidade, e tão difundido por várias filosofias, orientais e ocidentais torna-se um fator diferencial? A questão tem a ver com o mecanismo de funcionamento de nosso cérebro, que tende a rejeitar ideias simples como solução para problemas sejam eles simples ou complexos, e se o problema é simples, o nosso modo de pensar introduz restrições que não estavam no enunciado para torna-lo mais complexo, e aí então é que as soluções simples serão rejeitadas.

Vejam por exemplo o poder de soluções simples para resolver problemas complexos. O princípio da não violência de Ghandi conseguiu  libertar a  Índia do domínio da então toda poderosa Inglaterra. As ideias simples de Jesus subjugaram a filosofia helenista do império romano e ainda reverberam até hoje, tendo sido fonte de inspiração para as grandes mudanças sociais das revoluções francesa e americana.

As grandes inovações criadoras de valor partem sempre de princípios simples. Existe algo mais simples do que a invenção da roda, importante até hoje para a mobilidade humana?

E o que dizer do princípio que permitiu toda a revolução dos computadores, a linguagem binária com somente dois dígitos elementares, (0 e 1), (presença ou ausência), (luz ou sombra), (faz sentido, não faz sentido).

Principalmente nós latinos ao invés de raciocinar binariamente diante de uma decisão a ser tomada: (faz sentido, ou não faz sentido), preferimos raciocinar de forma mais complexa (faz sentido, faz um pouco mais de sentido, dependendo de tal circunstância faz bem mais sentido, se tal condição estiver presente faz muito mais sentido, e etc...) tornando o processo decisório muito mais lento e ineficaz.

Convidando-os a colocar mais simplicidade nos seus processos decisórios e na maneira de desfrutar desse milagre que é a vida para que se revele a felicidade que está dentro de todos nós e cuja revelação só depende de nós, desejo que todos vocês tenham um Natal com muita paz e alegria e um novo ano pleno de felizes realizações, todas “simples e eficazes”.

Deixo um exercício para vcs tirarem suas conclusões:

Procurem completar essa lista de animais quadrúpedes cujo nome termine em “ Í “.

JABOTI

SAGUI

JAVALI

QUATI

OKAPI

Procurem em 20 segundos completar a lista com mais um animal. Só desçam a página após esses 20 segundos.

BOI

Você aceitou ou rejeitou essa solução simples de um animal tão conhecido? Se rejeitou ou não veio à sua memória, analise o porquê, e veja se a causa não foi o tema de minha mensagem…

Públio Roberto Bonfadini

………………………………………………………………………………………………

Adoro os textos do meu pai porque, além de serem refexões úteis sobre temas cotidianos, vocês podem observar que há um embasamento sólido em tudo o que ele relata. Meu pai lê muito e está sempre estudando. É um cara de 66 anos que eu duvido que se aposente algum dia. Ele ama o trabalho e possui uma energia produtiva invejável!

O que eu achei mais interessante nesse texto foi a questão da simplicidade. Como designer, percebi há muito tempo que as ideias aparentemente simples são as mais geniais. Isso acontece na minha área de trabalho e em todas as outras. Perdi as contas de quantas vezes eu disse pra mim mesma: “Que demais, que ideia sensacional e, ao mesmo tempo, tão acessível… como é que eu não pensei nisso antes?”.

Concordo plenamente que o ser humano tem a tendência de complicar as coisas. Muitas vezes a melhor solução para um problema é a mais óbvia, a mais palpável e que está logo ali ao nosso alcance. Mas a mente gosta de divagar, de buscar formas complexas de lidar com as adversidades ou novidades, o que diversas vezes gera mais sofrimento e gasto de energia.

Vou tentar aplicar esse aprendizado na minha rotina em 2014 e, apesar de estar sempre dizendo (e escrevendo aqui no blog) que pretendo desacelerar, até hoje nunca consegui. Não vou prometer nada, mas espero que eu consiga me tornar uma pessoa mais “zen” esse ano. A viagem aos Estados Unidos em dezembro e a convivência com minha irmã do meio, que é budista, me fez rever alguns aspectos da minha vida e sentir uma imensa vontade de mudar, de procurar uma nova forma de vivenciar experiências e de valorizar na prática o que realmente importa, me preocupando menos com o que não vale a pena.

Um grande beijo pra todos com votos de um final de semana de boas reflexões!

Bonfa-ass

15 comentários:

Simone Medeiros disse... [Responder comentário]

Excelente texto, adorei! Concordo com tudo, mas tenho uma explicação linguistica para não lembrarmos do boi. Eu, por exemplo, completei a lista com siri. A explicação é simples, nosso cérebro, baseado na listagem dada, procura um animal que termine com i. Ele procura um animal com mais de uma sílaba, que a última sílaba tenha i e que de preferência seja uma sílaba tônica. Boi é um monossílabo e átono, o que dificulta a associação. (Desculpe-me a explicação, coisas de professora)

Especiarias Doces disse... [Responder comentário]

Katia, minha querida, antes de qualquer coisa: Um maravilhoso 2014!
Eu confesso que complico muitos as coisas, infelizmente.
Estou tentando colocar em prática o meu desejo de levar uma vida mais leve.
Nunca fiz ioga, mas no final do ano passado eu comecei a fazer pilates, que também trabalha a respiração. É incrível a mudança que isto trouxe para a minha vida.
Beijo enorme e cheio de carinho.
Fernanda

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Simone MedeirosSimone, obrigadíssima pelo comentário! Eu pensei como você! Nosso cérebro nos empurra na direção de pensar em um animal com a mesma sílaba tônica dos outros listados, é uma espécie de pegadinha... nã sei se é melhor exemplo que meu pa poderia ter dado sobre a questão analisada no texto, rs! Um super beijo!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Especiarias DocesMuito obrigada, Fernanda Um ótimo 2014 pra você também!!!! Já ou te convidar pra ser jurada do próximo concurso de culinária do blog, mesmo sem ter ideia d tema, rs! Aliás, sugestões são muito bem-vindas!!!!! Pois é,eu fiz um curso de meditação transcedental mas cadê que eu consigo tirar 20 min por dia pra colocar o aprendizado em prática???? Preciso urgentemente me dedicar a isso porque a meditação tem benefícios comprovados cientificamente, estimula a criatividade, diminui a ansiedade, te deixa mais tranquia... é tudo o que eu preciso e estou disposta a correr atrás esse ano! Um super beijo!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

A pilha do meu teclado sem fio está fraca e por isso está comendo um monte de letras... desculpe, pessoal! Beijão!

Gerliane disse... [Responder comentário]

Katia lindo texto Parabéns ao seu pai. Ele tem toda a razão, e nós sempre querendo complicar... que este ano possa fazer diferença em sua vida de forma bem positiva. Beijos

Gerliane disse... [Responder comentário]

Lindo texto Katia Parabéns pro seu pai, ele tem toda razão. Simplicidade é coisa de gente inteligente rsrsrs beijos pra vc!

Cós de Minas disse... [Responder comentário]

Oi,
Mandei o texto para minha sobrinha que está trabalhando na Inbev e para algumas pessoas do trabalho! Claro que dei os créditos ao seu pai e ao blog. As pessoas estão adorando a análise proposta e, ninguem até agora se lembrou boi....rs! Parabéns!!!!

Cós de Minas disse... [Responder comentário]

Oi,
Mandei o texto para minha sobrinha que está trabalhando na Inbev e para algumas pessoas do trabalho! Claro que dei os créditos ao seu pai e ao blog. As pessoas estão adorando a análise proposta e, ninguem até agora se lembrou boi....rs! Parabéns!!!!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Cós de MinasOba, que legal! Mandei seu comentário pro meu pai, ele vai ficar super feliz, obrigada! Beijão!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@GerlianeGerliane, querida, muito obrigada pelo comentário! O ser humano é assim mesmo, são poucas as pessoas que descomplicam... eu até conheço algumas e as admiro muito, mas são uma minoria. Quero muito aprender a ser mais "light"! Um grande beijo!

Sheila Zanella disse... [Responder comentário]

Amei o texto do teu pai e as tuas palavras sobre ele, tenho o mesmo orgulho pelo meu pai..como eh bom sentir isso, todas vez que me perguntavam de quem eu era filha e eu dizia..'sou filha do Zanella' eu via no rosto das pessoas o quanto ele era e eh admirado...

Beijinhos
Sheila
http://www.vidasuculenta.blogspot.ie/

Fernanda Damasceno disse... [Responder comentário]

Katia, obrigada por compartilhar essa reflexão. Certamente a levarei para meu ano 2014! SIMPLIFICAR! Abs para vc e seu pai! Fernanda

Fernanda Damasceno disse... [Responder comentário]

Katia, obrigada por compartilhar essa reflexão que levarei como um grande exercício para 2014! SIMPLIFICAR! Abs para vc e seu pai! Fernanda

Especiarias Doces disse... [Responder comentário]

Oi Katia! Obrigada!
Eu, jurada? Que máximo!!!! Nunca foi jurada de nada. Fiquei feliz com o convite.
Beijo grande e obrigada pelo convite.
Fernanda.

Related Posts with Thumbnails