segunda-feira, 17 de abril de 2017

Comprinhas na viagem de férias à Malásia, Singapura, Myanmar e Tailândia

DSC_0060

Bom dia, pessoal! Finalmente estou de volta à ativa, depois de 20 dias de férias e mais duas semanas de recesso do blog, o que me deu um tempinho para organizar a vida antes de retomar as postagens. Hoje vou compartilhar com vocês as comprinhas que fiz na viagem e alguns exemplos do artesanato que encontrei por aquelas bandas. Em breve vou publicar um resumão fotográfico dessa aventura, OK?

Na primeira foto desse post, vocês podem ver a bolsa que comprei no Asiatique em Bangkok, na Tailândia. Trata-se de uma espécie de shopping a céu aberto que também abriga bares, restaurantes, casas de shows e uma roda gigante. Como adoro peças multicoloridas em tons vibrantes e muitos detalhes, me apaixonei de cara!

DSC_0088

Comprei esse colar num mercado popular que virou atração turística em Inle Lake, Myanmar, e gostei do design com três pavões estilizados. Achei bem diferente das outras peças que vi por lá no mesmo dia.

DSC_0081

Os brincos foram garimpados no mesmo lugar e, apesar de não possuírem um design “típico”, digamos assim, amei o estilo e arrematei.

DSC_2436DSC_0077

Essa menina ficou super feliz quando comprei o colar e a pulseira de pedras por 10 reais em Inwa Ava, Myanmar. Nos países que visitei nessas férias, além de outros asiáticos e árabes onde estive anteriormente, existe a cultura da barganha. Geralmente nada tem preço fixo e o primeiro valor que o vendedor pede tem grandes chances de ser bastante reduzido. Esse é o padrão por lá, mas eu acho super cansativo ficar negociando e então, quando o preço já está bom pra mim, fecho o negócio. Na Índia, por exemplo, os caras jogavam os valores muito lá no alto, mas em Myanmar percebemos que, mesmo possivelmente inflacionados, os preços eram ótimos. Outros exemplos dos nossos gastos: o chopp custava em média 1,50 reais, uma hora de massagem saía por 14 reais (a melhor da minha vida!), jantamos dois dias seguidos por 3 reais e em Mandalay comi um pratão de camarões grelhados com molho de gengibre por 10 reais.

DSC_1192DSC_0103

Por falar em Índia, foi no bairro conhecido por “Little India” em Singapura que comprei essa túnica indiana. Singapura é um dos tigres asiáticos e sua capital é muito rica, desenvolvida, moderna e tecnológica. Tirando os olhinhos puxados, a gente nem percebe que está na Ásia. Podia ser uma grande cidade australiana ou americana. Ao contrário de Myanmar, tudo por lá é bem caro e, pra ser sincera, eu quase não entrei em lojas. Aproveitamos ao máximo nossa curta estadia de dois dias passeando bastante.

DSC_2362DSC_0115

Voltando a Myanmar, foi lá que comprei essas duas echarpes, uma para mim e outra para presentear. As mulheres birmanesas (o antigo nome do país era Birmânia) usam saias longas estampadas e bem coloridas chamadas de longyi. É o que aparece na estante da foto. São lindas e muito elegantes. Até cogitei levar uma, mas pensando melhor, lembrei de uma túnica comprida que comprei na viagem à Tunísia em 2007 que só vesti três vezes, além de uma bolsa de tricô que só usei enquanto estive na Colômbia. Achei que o destino da peça seria o mesmo (prisão perpétua num armário) e então decidi pelas echarpes, que são bastante úteis no inverno e em viagens.

DSC_0116

Outro dia li uma coisa com a qual me identifiquei totalmente: “Quando vejo alguém numa foto ao lado de uma placa com algo escrito em caracteres ininteligíveis, penso que esse é um lugar que eu gostaria de conhecer”. Assino embaixo! Sempre fui assim, a minha vontade era começar as viagens da minha vida pela Ásia, que eu achava bem mais intrigante e fascinante do que os Estados Unidos ou a Europa. Só que a passagem era caríssima na época e não havia possibilidade de conseguir um bom desconto, como acontece hoje em dia. O tempo passou e 21 anos depois de ter feito uma lista com os três países que eu mais gostaria de conhecer, finalmente coloquei os pés na Tailândia pela primeira vez no ano passado. Para comemorar a realização de um sonho antigo, fiz uma tatuagem com o nome do pais escrito em tailandês no antebraço esquerdo. Como designer, me interesso por tipografia e adoro observar como esses caracteres se comportam quando escritos em diferentes fontes (da mesma forma que podemos escolher entre Arial, Garamond ou Comic Sans para escrever um texto). E então comprei essa camiseta feita em homenagem ao rei tailandês Bhumibol Adulyadej, falecido no ano passado. Os tailandeses admiram muito a família real e sentiram bastante a ausência do monarca. Não lembro exatamente do que está escrito, mas deve ser algo do tipo: “Sentimos a sua falta, você foi o melhor rei que tivemos”. Foi mais ou menos isso que entendi o vendedor dizer. Se alguém souber a tradução, me conta? Achei a camiseta bastante emblemática e comprei.

DSC_0118

“Esse cachimbo pode ser usado com tabaco ou maconha”, disse o vendedor da loja em Inle Lake, Myanmar. Pra mim não fazia diferença, já que o meu objetivo era usar a peça exclusivamente para fins decorativos. O cachimbo é feito de madeira e prata e achei o trabalho bem bonito e com detalhes minunciosos, do jeitinho que eu gosto.

DSC_2341[2]

Fiquei encantada com essa porta de madeira entalhada! Tudo nessa loja em Mandalay, Myanmar, era sensacional! Consegui comprar três peças num total de 60 dólares, mas só escolhi as de tamanho pequeno e médio e sem muitos detalhes. As peças maiores e com muitas minúncias infelizmente não cabiam no meu bolso.

DSC_0073reiprincepe

Na sequência de fotos, as três peças que comprei: quadro com uma princesa entalhada e máscaras representando um rei e um príncipe

DSC_2347[5]

Esse portal de madeira com acabamento dourado custava 17 mil dólares!!! Um fortuna, mas pelo trabalho riquíssimo, imagino que deva valer cada centavo.

DSC_1682

As marionetes fazem parte do artesanato típico de Myanmar, mas não comprei nenhuma porque as que mais gostei eram caras e as mais baratas não me agradaram.

DSC_2091

As sombrinhas de papel que podem se transformar em luminárias são facilmente encontradas em Bagan, a cidade mais procurada pelos turistas ocidentais em Myanmar. Achei lindas e fiz esse registro, mas nem perguntei o preço porque não consegui pensar num lugar em casa onde poderia colocá-las.

yangoodsDSC_0093

Fui me tornando muito chata para o artesanato popular porque vejo bastante coisa igual pelo mundo afora, sem muita autenticidade e com pouca qualidade. Então acabo me interessando por lojas (geralmente mais caras) que se inspiram no artesanato típico para recriá-lo de forma criativa e original com uma pegada atual e divertida. É o caso das peças vintage da YANGOODS. Comprei esse imã de geladeira com o nome de uma das cidades que conhecemos em Myanmar.

DSC_2507

Acho que os melhores souvenirs que trago de viagens são as fotos. Em segundo lugar, são as tatuagens. Na verdade, essa é a nossa segunda tattoo, mas fiquei animada com a ideia do Marcelo de registrar no corpo os nomes de todos os países que visitamos onde os alfabetos são diferentes dos nossos caracteres romanos. Retroativamente fica complicado porque não são poucos, rs. Na foto, o flagrante do meu cochilo durante a sessão (pela segunda vez não senti nenhuma dor!). É Myanmar escrito em birmanês. O curioso é que, de cabeça para baixo, parece estar escrito "casa".  No BKK INK TATTOO STUDIO em Bangkok, Tailândia.

Untitled-1

Na foto, vocês podem me ver em Kuala Lumpur, a capital da Malásia, esperando o metrô para depois pegar um ônibus em direção à cidade de Melaka. Minha bagagem completa estava desse jeito com 5,16 kg (quase 2 kg a menos que o limite permitido a bordo do voo da JETSTAR) e espaço de sobra para todas essas comprinhas que fiz. Gente, como é bom viajar leve! Não senti falta de nada. Acho que carregar uma mala enxuta e não despachar bagagens é realmente um vício sem volta, rs.

Um grande beijo pra todos com votos de uma semana incrível!!!

Bonfa-ass

11 comentários:

Luciana disse... [Responder comentário]

Adorei suas compras, tudo lindo. Seja bem-vinda ao blog!!!💋💋

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@LucianaMuito obrigada, Luciana! É bom voltar a postar! Super beijo!

Marta disse... [Responder comentário]

Katita! Amei as comprinhas e a viagem! Deve ter sido maravilhosooooooo
Beijos

Glá disse... [Responder comentário]

Nossa....muito legal! mas a bagagem...é de admirar! incrível, inacreditável!!heheheh

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@GláObrigada, querida!!! Beijão!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@MartaOi, Martinhaaaaa! Foi uma viagem bem gostosa, deixou muitas saudades! Beijão!

Casar é assim disse... [Responder comentário]

Bonfa de volta! =)

E passou por lugares lindos!!
Amei as echarpes, bem coloridas e alegres!

beijos!
Gábi

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Casar é assimMuito obrigada, querida! Estou ansiosa para esfrriar e poder usar a echarpe!!!! Beijão!

Livia Maria disse... [Responder comentário]

Oii!! penso em fazer uma tatuagem nesse estudio. vc teve que agendar antes? qual foi o valor?

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

@Livia MariaOi, Livia! Da primeira vez, a gente arriscou e fez algumas horas antes de ir para o aeroposto, rs. Por sorte, tinha vaga. Da segunda vez, acho que a gente agendou para o dia seguinte ou para o mesmo dia mais tarde, não lembro bem. Mas o ideal é agendar com antecedência mesmo. Um beijão e ótima viagem!

Vanessa Campos disse... [Responder comentário]

Gosto muito de viajar, a minha próxima viagem agora é para Bonito MS. Desta vez vou realizar um passeio https://www.agenciasucuri.com.br/Passeios-Bonito

Related Posts with Thumbnails