segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Você sabe o que é design de superfície?

Meu convidado de hoje é uma das pessoas mais citadas nesse blog, assim como foi no Criative-se. Trata-se do meu querido amigo Wagner Campelo, designer carioca que conheci há pouco mais de dez anos, quando trabalhamos juntos em um escritório de design. Eu comecei como estagiária e foi o Wagner que me entrevistou para o cargo. Lembro de ter tido a impressão de que ele ficou satisfeito com os trabalhos que apresentei no portifólio e saí da entrevista animada. Alguns dias depois, lá estava eu trabalhando junto com o Wagner! Passamos uns quatro anos convivendo todos os dias, mas foi depois que saímos do escritório que nossa amizade se fortaleceu. Além de adorarmos trocar figurinhas sobre os mais diversos assuntos, ele é um dos profissionais do ramo de design que mais admiro. Extremamente talentoso e criativo, o Wagner consegue transformar qualquer coisa aparentemente “sem graça” em pura arte. Vamos conferir?
 

WC


O desenho sempre esteve presente na minha vida. Quando criança nenhuma outra brincadeira me parecia mais interessante e divertida que desenhar, inventar mundos imaginários, e usar cores para dar vida às formas recém-criadas. Todos diziam que eu tinha muito jeito com desenho, e eu acreditei no que ouvi. Tanto que, mais tarde, na época do vestibular, consegui entrar na Escola de Belas Artes da UFRJ. Formei-me em 1985. Percorri um caminho tortuoso no universo do design desde minha formatura, mas hoje posso dizer que realmente adoro o que faço e não trocaria este ofício por nenhum outro. Minhas estampas estão sendo comercializadas nos EUA e na Europa. Alguns desenhos meus foram publicados numa revista internacional de tendências  e, recentemente, num livro especializado no assunto. Minhas padronagens estão sendo utilizadas no segmento de decoração e também por alguns estilistas de moda praia. O que mais tem me agradado ultimamente é ver o resultado do meu trabalho aplicado em produtos diversos. Esta é uma das vantagens do design de superfície: ele oferece um campo praticamente ilimitado de imaginação e inventividade.

foto_entrevista_01

Revista de tendências TEXITURA | biquíni com estampa localizada LYBETHRAS SWIM | Papel de parede ALLUMINARE | Livro Exciting World of Pattern Design


Wagner, conta pra gente: o que é o design de superfície?

Para mim é um processo que alia criatividade e técnica na concepção e execução de desenhos ou imagens projetados com determinada finalidade para aplicação em superfícies. Seu objetivo é apresentar ideias funcionais e estéticas levando em conta os diferentes métodos e materiais. 

foto_entrevista_02

Cartaz MARACATU desenvolvido para a Cartazêra


Qual foi seu primeiro contato profissional com este segmento do design?

Em 1989 tive a oportunidade de trabalhar numa fábrica de material vinílico como desenhista de padronagens. Na verdade, eu nunca havia trabalhado nesta função e precisei fazer um teste que levou praticamente o dia todo. Depois de aprovado, comecei a descobrir, na prática, o que era exatamente desenhar padronagens — e adorei as “descobertas”! Elaborar desenhos que se emendavam continuamente através de módulos e ver o resultado impresso desse trabalho em papel de parede, revestimento para estofados e muitas outras superfícies vinílicas foi não só uma grande novidade, como uma surpresa gratificante. Muito do que sei hoje aprendi nesta fábrica, num tempo em que os computadores não existiam e tudo tinha que ser feito com lápis, tintas e pincéis.  

foto_entrevista_03

Coleção de estampas coordenadas desenvolvida exclusivamente para a CARA RIMA


Você sempre trabalhou como designer de superfície?

Não. Depois de 3 anos como desenhista de padronagens a empresa extinguiu o departamento de marketing, fazendo com que eu procurasse outro trabalho. Eu pretendia continua na mesma área, mas, naquela época (1991), não havia ainda muito mercado para este ofício. Assim, acabei trabalhando em outros segmentos do design (comunicação visual, design gráfico, webdesign). Mas estas outras especialidades não me davam tanto prazer quanto o design de superfície. Em 2003 surgiu uma nova oportunidade de trabalhar com padronagens, um projeto envolvendo diversos designers na criação de estampas com uma linguagem genuinamente brasileira. Não pensei duas vezes. Lamentavelmente, o projeto não teve o sucesso esperado. Entretanto, eu me certifiquei de que o universo das estampas e padronagens era realmente o que mais me atraía e estimulava em termos de design. A partir de então comecei a tentar trabalhar apenas com o que me agradava. Só recentemente, de uns 4 anos pra cá, tenho me dedicado exclusivamente ao design de superfície. 

foto_entrevista_04

Coleção de estampas de temática indiana desenvolvida para a PANO DIGITAL


Seus trabalhos têm mais projeção no exterior do que no Brasil. A que você atribui este fato?

Creio que isso se deve a 2 fatores. Primeiro, aqui no Brasil ainda existe uma mentalidade — totalmente ultrapassada! — que valoriza apenas o que vem de fora. Como não era (é) muito simples conseguir trabalho nesta área aqui, comecei a buscar espaço onde este ofício fosse valorizado. Ironicamente, no exterior, quase tudo envolvendo “Brasil & Design” interessa muito, e eu consegui fazer alguns contatos interessantes pela Internet. Além disso, uma agente em Londres me propôs representar e comercializar meu trabalho na Europa e EUA. Assim, acabei tendo algum reconhecimento no exterior muito antes de ser reconhecido aqui. Por outro lado, justamente por conta da tal mentalidade mencionada acima, talvez meu trabalho só tenha começado a ter alguma visibilidade ano Brasil por ter tido certa projeção internacional. Devo dizer que é muito importante ter algum portfolio online (blog, site, flickr, coroflot), isso facilita enormemente não apenas a divulgação do trabalho, mas também possibilita prováveis convites e propostas.  Há vários anos invisto bastante nessa espécie de “vitrine” chamada Internet, sobretudo através do meu blog. O resultado pode até demorar um pouco, mas se o trabalho tiver qualidade ele certamente será visto. 

foto_entrevista_05

Estampa CARIOCA desenvolvida para a empresa americana de decoração ALLUMINARE, aplicada em cortina bandô e papel de parede


Onde você busca inspiração para suas criações? Como escolhe as cores? Você segue tendências?

Tudo pode ser fonte de inspiração para mim: desenhos, pinturas, fotos, filmes, livros, música... Entretanto, como fotógrafo amador, admito que as cores e formas da natureza — a nossa em especial — têm sido fonte inesgotável para a maioria dos meus desenhos. Mas acredito que a fonte de inspiração deve estar de algum modo vinculada ao objetivo que se pretende alcançar: quando tenho que seguir determinada tendência não há como fugir de “algo inspirador” ligado ao tema a ser explorado.

Sobre as cores, eu procuro sempre um resultado harmonioso levando em conta as formas. Cada estampa precisa ser entendida como um todo que poderá ser percebido tanto de perto quanto de longe. As cores devem funcionar de modo a destacar do fundo os elementos significativos, mas também devem criar uma sensação que integração entre as figuras em destaque e o próprio fundo no qual se apóiam. Ou seja, a harmonia e o equilíbrio devem existir o tempo todo.

Nem sempre sigo tendências, pois elas podem ser muito relativas. Há dois anos desenho para a Texitura, uma revista internacional de tendências. Neste caso preciso seguir as orientações fornecidas a fim de criar padronagens originais segundo os temas propostos. É um trabalho ao mesmo tempo desafiador e um tanto limitante, já que necessito me ater a determinadas temáticas e cores. Evidente que cada tema em si oferece uma série de possibilidades, mas eu nunca extrapolo essas “fronteiras” a fim de não fugir da proposta inicial. Eu também gosto de criar estampas que não estão ligadas diretamente a nenhuma tendência. Isso faz com que as padronagens não fiquem “datadas” e tenham um tempo maior de vida útil.

foto_entrevista_06

Revista TEXITURA e tendências para 2010: Multicolored Action e Organic Lines


Fale sobre as estampas fotográficas e sua aplicação na moda praia.

Esta foi uma das maiores surpresas que tive recentemente. Uma estamparia digital com a qual eu tinha contrato queria padronagens que explorassem a riqueza de tonalidades e detalhes que as fotos podem ter. Eles me propuseram criar algumas estampas segundo estes critérios. Como eu tinha uma infinidade de fotografias que havia feito no jardim botânico não foi difícil escolher imagens que pudessem se transformar em padronagens. Curiosamente, quando criei as estampas não pensei, num primeiro momento, que pudessem ser utilizadas em moda praia. Apesar de toda a padronagem ter originalmente um fim determinado, nada impede que estas finalidades sejam alteradas. Assim, uma estampa criada para decoração pode ser adaptada para moda e vice-versa. Esta é outra das vantagens do design de superfície: as padronagens não estão rigorosamente limitadas e este ou àquele uso específico, com alguns ajustes tudo pode ser reaproveitado. Enfim, coincidentemente, 3 das “estampas fotográficas” foram vendidas para o segmento de moda praia — e eu fiquei muito satisfeito com o resultado, pois estas padronagens me pareceram perfeitas para a confecção de acessórios, maiôs, biquínis e kaftans.

foto_entrevista_07

Fotografia feita no jardim botânico do Rio (arquivo original). Foto convertida em estampa fotográfica. Estampa aplicada em biquínis e acessórios da Lybethras Swim.


Qual a maior dificuldade no seu processo criativo, ele é sempre o mesmo?

O mais importante — geralmente o mais complicado — é saber determinar o rapport. Rapport é o módulo de repetição, ou seja, o desenho (ou imagem) que repetido no sentido vertical, horizontal e diagonal vai dar a ideia de que a estampa é contínua. Este módulo, que pode ser quadrado ou retangular, precisa ter um encaixe perfeito para que quando repetido “desapareça” no meio do todo. É necessário que ele fique encaixado (e disfarçado) de tal modo que não se perceba claramente onde ele começa ou termina. Dependendo do grau de elaboração da estampa, esta pode ser a parte mais complexa do trabalho.

Meu processo criativo nem sempre é o mesmo, pois tudo depende do projeto, do cliente e dos interesses dele. Mas posso dividi-lo basicamente em 2 tipos: estampas feitas com imagens e estampas vetoriais (traço). Para cada uma destas vertentes o processo varia, pois é necessário usar programas diferentes para gerar os arquivos digitais. Devo dizer que posso desenhar diretamente usando o micro, mas costumo também desenhar muito a mão livre, mesmo que isso não transpareça no resultado final.

foto_entrevista_08

Estampa localizada e estampa fotográfica aplicadas em saídas-de-praia da coleção 2010 da Lybethras Swim e da Mariskal


Como você definiria o seu estilo?

Considero meu trabalho é diversificado e eclético. Tenho predileção por estampas que aliem formas e cores numa linguagem simples, bastante gráfica e alegre, mas também gosto de usar minhas fotografias na elaboração de padrões mais ricos em termos de nuances e texturas. Do mesmo modo, não gosto de limitar minhas estampas a este ou àquele segmento. Moda, decoração, papelaria... tudo me interessa, sempre! E cada vez mais me sinto estimulado a explorar e estampar novas superfícies!

foto_entrevista_09

Estampas florais

E então, o Wagner não é “o cara”????? Além de trabalhar com design de superfície, ele também é um fotógrafo habilidosíssimo, mas isso será tema de um próximo post!

Beijos e uma semana bem colorida pra todos!!!!!

bonfa

45 comentários:

Fernanda de Cássia disse... [Responder comentário]
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernanda de Cássia disse... [Responder comentário]

Olá!
Hoje fui a primeira!
Quero parabenizar o Wagner por seu belíssimo trabalho. Acompanho o seu blog pessoal e fico encantada com todas as padronagens. Simplesmente maravilhosas!

Katinha, inspirada nas suas criações ( e na de seus amigos, como o Wagner, que vim a conhecer através de você) na área do design e ressuscitando velhos sonhos como disse naquele post, estou abandonando a faculdade de pedagogia para me aventurar pelo curso de design gráfico (tecnólogo). Saiba que você, mesmo distante e sem nos conhecermos pessoalmente, foi uma grande inspiração e incentivo para tomar coragem e realizar o meu sonho: tornar-me uma designer. Muito Obrigada!

Beijos!!!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

Waguito, até que enfim essa entrevista saiu!!!!! Tenho o maior orgulho do seu trabalho e fico encantada com as padronagens que você cria!!!! Esse kaftan é uma das peças mais lindas que já vi e é claro que eu o usaria pra ir a uma festa e não pra ir à praia!!!!! Parabéns mil vezes!!!!

Beto disse... [Responder comentário]

Olá Katinha!!! Olá Wagner!!!

Caramba quanta coisa linda!!!!!

Menina, que entrevista maneira, e os trabalhos então!!!
Na época que ele começou era pauleira mesmo, tudo a mão sem uma maquinha rsrsrs, eu lembro bem disso, fazer um lay-out, levava um dia inteiro, e trocendo pra não errar. kkkkk Mas era muito boa aquela época de desenho puro, porém, os recursos que se tem hoje facilitam nas criacões e na criatividade.
Parabéns Wagner, seu trabalho é demais!!!!
Parabéns Katinha, nos traz sempre muitas coisas ótimas, pra começar a semana bem.

Beijos e fiquem com Deus!

Beto

Gislane - Oh So Jolly! disse... [Responder comentário]

Oi Katia, tudo bem?

Estou com um blog novo, o 'oh so jolly!' =)

O A la belga vai continuar como blog pessoal, já que era a idéia inicial.

Agora estou com mais tempo e vou começar a colocar a leitura aqui do seu blog em dia, tanta coisa bacana!!!

Bjocas e boa semana

Nádia Argeri Burghi disse... [Responder comentário]

Descobri o Wagner com a Katia e desde então não paro de persegui-lo... risos.
É um trabalho belíssimo e, hoje, fonte de inspiração para mim.

Beijos para os 2,
Nádia

Mari disse... [Responder comentário]

Bonfinha, amei a entrevista!!!!

Eu adooooro as criações do Wagner, cada uma mais linda que a outra!! Parabéns de novo e de novo e de novo, Wagner!!!!!

Beijocas pros dois!!!
Saudades!!!!!! Vamos nos encontrar logo!!!

Caroline Krieger disse... [Responder comentário]

Katia adorei seu blog, é muita coisa legal.
Bjs querida

Luciana Casado disse... [Responder comentário]

Que show essa entrevista, Katia!!
Foi muito explicativo!!! Adorei conhecer o trabalho do Wagner, que certamente já devo ter visto!!
Bjus, Lu

Georgia disse... [Responder comentário]

Oi Katia, fui convidada pelo Wagner a ler a entrevista que ele deu aqui no seu blog. Parabéns pela escolha das perguntas. Pois, assim pude conhecer melhor esse nosso amigo incomum.

Wagner, lamento que nós ainda nao nos conhecemos pessoalmente, há um oceano imenso que nos separa mas também outras pequenas coisas $, rs.

Conheci o Wagner como escritor e fotógrafo e um belo dia qual nao foi a minha surpresa quando ele me apresentou o seu lado colorido, suas padronagens, sua criatividade que é infinitamente linda.

Desde entao venho acompanhando o crescimento do Wagner e sua dedicacao. Ele tem suado a camisa, mas sempre penso que os pingos desse suor têm sido coloridos e ele está achando o seu espaco nesse mundo.Dedicacao, trabalho e qualidade, acredito que o resultado se chama Wagner Campelo.

A descoberta pela moda praia tem sido lindo, Wagner. Um fino e bom gosto acompanha os seus padroes. Sempre eu via suas padronagens eu pensava que beleza na decoracao de objetos para dentro de casa e logo pude constatar que o seu estilo estava sendo descoberto para a área decorativa. Parabéns!

Acredito meu amigo, que tudo isso é apenas o comeco. Suas linhas e cores sao lindas e que bom que você acredita e gosta do que faz, pois esse tem e deve ser o passo para quem decide ser um designer, pois o caminho nao é fácil de ser percorrido, exatamente por essas dificuldades que você citou aqui na sua entrevista.

Eu sempre digo que o Brasil é uma explosao de cores, de gente jovem e bonita e você tem sabido à luz das suas lentes ver essas cores.
Nao perca de vista esse primeiro "Amor", pois será ele quem te levará a muitas outras descobertas.

Seguir tendências, é preciso, dependendo do estilo delas. Mas também nem sempre deve-se ficar parado achando que seu estilo deve permanecer. Seu olhar deve ser sempre para mais além. Espero que me tenha feito entender, rs.
Às fronteiras existem e elas devem ser escaladas e nao derrubadas, pois é na escala que está toda a descoberta e eu acredito que você tem escalado e muito bem as suas fronteiras, com muito jeito e jogo de cintura. Suas padronagens sao jovens e pelas cores definidas e muito bem escolhidas você tem marcado a sua presenca.

Meu Amigo, no mais te desejo sucesso e reconhecimento pelo seu trabalho maravilhoso.

Um grande abraco

Rosi disse... [Responder comentário]

Bonfadini

Amei a entrevista! E o convidado é mesmo digno de qualquer homenagem. Um trabalho minucioso, alegre, bem feito, tudo de bom.

Tenho uma amiga que trabalho anos nessa área. Como trabalhávamos numa grande indústria têxtil, ela era responsável pelas padronagens e estampa, principlamente para aplicação em malhas e em roupas infantis em geral. Uma pessoa talentosíssima.

Muito legal conhecer esses bastidores, ideias e progressos.

Bjs e ótima semana

João Luis Guedes P. Pereira disse... [Responder comentário]

Parabéns ao Wagner!! Suas criações são de um bom gosto, criatividade, e execução primorosos!! Sinceramente, antes de ver seus trabalhos e saber um pouco do processo (que a Kátia contava pra gente), não tinha a mínima noção que havia um profissional específico desse área de trabalho. Acho importantíssimo essa coisa da especialização, pois dessa forma é que a possibilicade de inovar e ousar acontecem. É uma pena que um profissional do seu nível de formação e informação não tenha o reconhecimento devido, principalmente aqui dentro do próprio país. Mas, essa nossa cultura de valorizar o que vem de fora e subjulgar o que temos de bom é difícil de romper mesmo. Ainda bem que pessoas como você que acreditam no seu potencial de trabalho, independente de qualquer coisa, não desistem!! Parabéns mais uma vez pelo belíssimo trabalho. Gostei muito do seu cartaz Maracatu. Super criativo e trabalhoso!! Valeu Katinha por essa oportunidade e de conhecer um pouco mais sobre o Wagner e suas hablidades!! Abs João

Bird disse... [Responder comentário]

Katia,

Como sempre otimo convidado!! Adorei ver mais trabalhos do Wagner! Acho que vc ja tunha feito um post antes com akgumas fotos dele, nao?

Pois é, pena que ai a mentalidade seje ultrapassada no aspecto de reconhecer talentos nacionais, como o seu Wagner!! Te desejo mais sucesso aonde quer que seja!!! Tudo muito lindo!! Parabéns!!

Por sinal, seus designs estam também em artigos de papelaria? Pois fariam um maior sucesso! Eu personalmente iria ADORAR usa-los para cartoes, scrapbooking, etc...

Wagner disse... [Responder comentário]

Muito obrigado pelos comentários, Fernanda, Beto, Nádia, Mari, Caroline, Luciana, Georgia e Rosi. Fico contente que tenham gostado do meu trabalho.

Obrigado, João! O comentário de outro designer é sempre importante, pois ainda que as especialidades sejam um pouco distintas, há uma "essência" que permanece a mesma — e outro designer saber compreender exatamente como, às vezes, nosso trabalho pode ser difícil. Sinceramente, eu acho que é mais simples não desistir quando a gente trabalha com algo que gosta. Demorei um pouco a descobrir a minha "especialidade" no design, mas agora que sei bem qual ela é (e o quanto ela me agrada!) continuarei insistindo no meu ofício e me especializando cada vez mais. Por sorte, a tal globalização pode ajudar muito no reconhecimento — sem ela, suas ferramentas, e meus esforços em tentar ultrapassar fronteiras, talvez eu sequer existisse como profissional nesta área.

Obrigado também, Bird! Eu tenho grande interesse em desenvolver uma coleção de papelaria. Entretanto, até hoje não tive oportunidade de fazê-lo. Mas esta é uma das minhas próximas, digamos, "investidas".

Obrigado, Bonfinha, pela iniciativa e pelo resultado da entrevista. Eu ADOREI!

Priscila Ferreira disse... [Responder comentário]

Katia!
Primeiro: parabéns pela ideia!! Eu nem sabia que existiam tantas ramificações da área de design... Eu adoro isso! Comecei a fazer faculdade de Design do produto mas por uma série de fatores não consegui concluir..
Mas muito bom ver o trabalho de um bom profissional reconhecido! A parte ruim é que o reconhecimento nunca vem daqui, não sei pq brasileiro valoriza tanto o que vem de fora se temos tantas pessoas talentosas no nosso país imenso!
E parabéns para o Wagner, um lindo trabalho e um ótimo esclarecimento!
Bjuuu
Pri

Thalita Godoy disse... [Responder comentário]

Adorei o post, tirou todas as minhas duvidas sobre o assunto!!!! O Wagner realmente é muito bom no que faz... Fiquei impressionada!!!
Bjs

Nel disse... [Responder comentário]

Sim, ele é O cara.
Mas vc não fica atrás, vc é A cara!!
Já disse que sou fã?!
rsrsrs
Bjs

Sonia disse... [Responder comentário]

Vim pelo link no Facebook, pois, além de amiga pessoal do Wagner, sou sua admiradora. Excelene a entrevista. Parabéns aos dois.

Milena disse... [Responder comentário]

Essas estampas realmente são qualquer coisa e o Wagner é o "cara"!
Adorei a entrevista e conhecer uma pessoa que é capaz de criar coisas tão bonitas.
Inspiração,talento,capacitação e amor ao que faz só poderia dar frutos tão belos.
Queria(quero)aqueles papeis de parede,são demais!
Bjs,

Cláudia Ramalho disse... [Responder comentário]

Vivendo e aprendendo... eu nem sabia que existia essa profissão! E que legal poder criar coisas lindas assim e ainda ganhar dinheiro com isso, não é? "Quando a gente faz o que gosta, quase não tem que trabalhar..." Não é verdade? E ele, pelo jeito adora o que faz, pois só alguém que realmente gosta do que faz pode ser capaz de criar artes tão delicadas e originais.

Gostei muito do estilo do Wagner. É uma pena que aqui tenhamos essa mentalidade de não valorizar a prata da casa, mas ainda bem que ele encontrou seu lugar ao sol.

Adorei seu convidado, Kátia! Ele realmente é o cara...

Bjks

Marta disse... [Responder comentário]

Nossa.. que trabalho incrível.. adorei as cores! Show!
Parabéns pelo trabalho e dedicação! Boa sorte na carreira!
Beijos

MOMENTOS disse... [Responder comentário]

Queridos,

Sinto-me lisonjeada de possuir amigos tão talentosos e com características tão distintas.
Essa forma que possuem de ver a vida de forma tão diferente converge para um ponto incomum: a criatividade.

Parabéns ao Wagner pelo trabalho espetacular e a Bonfinha por divulgá-lo. A entrvista ficou ótima.

Beijos
Kapin

Marilia disse... [Responder comentário]

Ótima entrevista e homenagem muita justa. Parabéns aos dois.
Wagner só tem um problema: tem talentos demais. É um escritor (romancista e contista)maravilhoso. É um rei Midas esse menino! O que toca vira ouro.
Bjos.
Gostei muito do blog, bem feito e bonito. Vou voltar.

Lidiane Vasconcelos disse... [Responder comentário]

Lindo trabalho!
Aquele biquíni, com a estampa verde, está belíssimo. Super refrescante, e a flora realmente foi retratada no trabalho.

Parabéns pela entrevista, Kátia. E parabéns ao Wagner, o artista. :)

thekamendes disse... [Responder comentário]

Olá gostei da entrevista, parabens!! Adoro estampas diferentes e papei coloridos, sou arquiteta e adoro coisas coloridas :) Agora falta uma entrevista com a Katia, hein?? Que tal Wagner??

Tamy disse... [Responder comentário]

Gente, como eu amo esse blog... ainda bem que vc me controu. Amei o post de hoje e a sua iniciativa. beijos

Nathalia disse... [Responder comentário]

Oi Katia! Deixa eu te fazer uma pergunta técnica: você faz upload das fotos no sisteminha do blogger mesmo ou você usa as fotos diretamente de um endereço da internet?

É que as suas fotos carregam mais rápido e meu firewall não as bloqueia NUNCA... Queria fazer assim com meu blog também...

Beijoca e obrigada!

Babi Mello disse... [Responder comentário]

Katia,

Gostei muito do post de segunda, e é bom para indicar para as pessoas profissões como essa. Adorei os desenhos, as saídas de banho são lindas... maravilhoso e deve ser um orgulho enorme saber que o seu trabalho esta espalhado pelo mundo. Queria ter esse talento para o desenho, lindo!

Kaira disse... [Responder comentário]

Belíssimo trabalho!
A mistura das cores é perfeita, e a harmonia das imagens impressiona!
Parabéns!!!

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

Oi, Nathalia!!!! Obrigada pelo comentário! Respondendo à sua pergunta: eu edito os textos no Windows Live Writer, que é bem mais prático, rápido e tem mais recursos do que o programa do blogger. O Live Writer direciona automaticamente as fotos para álbuns do PICASA. O programa é grátis, vale muito a pena usá-lo. Beijão!!!!

Sandra Negrão disse... [Responder comentário]

Adorei essa entrevista, confesso que pra mim tudo o que foi dito é novidade...Eu nem imaginava como se dava esse processo de criação.Amei as estampas, todas de muito bom gosto.
Parabéns pelo lindo trabalho Wagner. Que o seu trabalho alcance todo reconhecimento que vc merece e principalmente aqui no Brasil.
Beijinhos.

Wagner Campelo disse... [Responder comentário]

Obrigado pelos comentários e pelo incentivo, Priscila, Thalita, Nel, Sonia, Milena, Cláudia, Marta, Kapin, Marilia, Lidiane, Theka, Tamy, Nathalia, Babi, Kaira, e Sandra. Fico muito contente em poder falar sobre o meu trabalho e também em divulgá-lo. Acredito que quanto mais se conhece sobre determinado assunto, mas fácil se torna saber valorizá-lo. Neste ponto, penso que a entrevista que a Bonfa fez comigo pode ser um ótimo começo para fazer com que saibam mais sobre este ofício.

Obrigado a todos pelas visitas e comentários!

gleicebomfim disse... [Responder comentário]

Katia,

Estou encantada! Que coisa linda este seu blog. Estou me deliciando com suas idéias. Quanta criatividade menina, parabéns! Adora festas e seu blog é uma fonte de inspiração. Muito obrigada por esta beleza.

Bjs!!!
Que Deus sempre te ilumine

Joaninha Bacana disse... [Responder comentário]

Muito legal essa aula sobre estampas!!! E parabéns para o Wagner, trabalho lindíssimo!!!
Beijos pra voces,
Angie

Bird disse... [Responder comentário]

Katia,

Que é fa sua sou eu!!!!

Beijocas

Katia Bonfadini disse... [Responder comentário]

Oi, Gleice!!!! Seja sempre bem-vinda ao blog! É tão gostoso saber que podemos inspirar alguém!!!! Adorei ler seu comentário, obrigada pelo carinho!!!!

Beta disse... [Responder comentário]

passando para convidar para uma troquinha de links

http://desbaguncando.blogspot.com/

Uma semana organizada a Você
Beijinhos

Frozen... Stolichnaya disse... [Responder comentário]

Kátia.. aqui muito frio e ai tao calor e voces falando da moda na praia :)) eu queria esse sol um pouco....
Sim, o Motel One eh bom, o de Berlin eu nao conheco, mas eu ja fiquei uma vez em Köln...
Depois me passa seu roteiro certinho ok`?
bjao

Fran disse... [Responder comentário]

gostei muito desta matéria, pois tinha uma idéia superficial sobre o significado de "design de superfície" e não imaginava o quanto alguém talentoso como o Wagner tivesse que trabalhar tanto para ser reocnhecido. sempre tive a impressão que estas coisas aconteciam sozinhas, ao menos é o que se diz por aí.
parabenizo-o pelo trabalho maravilhoso e a você, Kátia, pela produção do blog, que é muito bom.
beijos

http://utilidadesemcasa.blogspot.com/

Andrea Guim disse... [Responder comentário]

Oi, Katia!
Prazer conhecer você e seu blog super bacana!!! Obrigada por visitar e comentar no BlogArte! Venha sempre que der!!!
Nossa! Meu sonho é conhecer o Egito!!! Fiquei pasma com suas fotos!! Agora vou ver mais coisas por aqui.
Beijins e boa semana!!

Patricia Haddad disse... [Responder comentário]

O trabalho do Wagner é realmente lindo. Eu o conheci por seu intermédio e sempre achei demais as fotos que ele faz usando uma câmera simples (pelo menos no início era!) e objetos do cotidiano, como macarão, contas etc. Também acho interessantíssimo o design de superfície, que nem sabia que tinha esse nome. E o que sempre me chamou a atenção neste tipo de trabalho é o que aprendi aqui que se chama rapport. Posso imaginar como deve ser difícil fazer isso. Parabéns ao Wagner pelo belíssimo trabalho e a você, Kate, pela entrevista e pelo blog. Bjs!

Leticia disse... [Responder comentário]

Adorei Katia!
Adoro o tema de design, trabalhei bem pouquinho tempo com isso... mas ligado a arquitetura, mas adoro todo tido de comunicação visual.
Inspiradoras as imagens e inspiradas também!
Beijos
lelê

MAURYN SCHIRMER disse... [Responder comentário]

MUITO BOM esse blog, e gostei bastante da entrevista, o Wagner é muito talentoso! Parabéns!!!
Te add

Antonio e Ellen disse... [Responder comentário]

Katia,
Fantastica a entrevista com o Wagner, não sabiamos o que era design de superficie.
Adoramos arte e o post esta completissimo
Parabens
Viagem Afora

Jen of Made By Girl disse... [Responder comentário]

Hello Katia! :)
Thank you for introducing me to his work.... :))

Jen Ramos
www.madebygirl.com
madebygirl.blogspot.com
--

Related Posts with Thumbnails